Arquivo mensal: novembro 2006

Doce longe do açúcar

O que era para eu publicar depois da meia-noite, publiquei antes, mas esqueci de dizer o que fez o meu dia mais doce. Sabe o que foi? Não foi o sorvete, mas poder compartilhar a companhia de dois amigos num almoço no meio da semana, mas fora da rotina. O Osmar e a Carlinha fizeram meu dia mais doce. A taxa de glicose se manteve estável.

Outros bons sorvetes

A Leo Dolci também tem sorvetes diet deliciosos em três sabores: chocolate, morango e limão. O sorvete é gostoso, encorpado. Porque não tem nada pior do que aqueles sorvetes sem consistência.

Em casa, uma boa pedida é o napolitano Molico, da Nestlé.

E você, sabe onde encontrar sorvetes diet decentes?

Leo Dolci:
Rua Domingos Leme, 687 (Vila Nova Conceição) – Tel.: (11) 3842-2375
Pça. Panamericana, 44, loja 3 (Alto de Pinheiros) – Tel.: (11) 3023-0335
Rua Barão do Triunfo, 463 (Brooklin) – Tel.: (11) 5041-3463

Vai um sorvete (diet) aí?


Alegria de diabético é poder tomar um sorvete diet gostoso. Neste ponto, acho o da Gelateria Parmalat perfeito.

Hoje fiquei realmente feliz ao saborear o sorvete de chocolate e leite, ambos diet, é claro! Como é bom aquele sorvete! Eu até acredito que sou feliz quando tomo um deles. Até esqueço que sou diabética.

O meu segredo é nem olhar os outros sabores para não dar vontade. O negócio é fingir que só existem aqueles dois.

Ah! E eu tenho uma mania que acho que não vou perder nunca. Sempre pergunto, mesmo estando escrito que o produto é diet:

– É sem açúcar, né?

Isso faz parte de viver com diabetes.

A tal listinha prometida

Vamos lá! Vou apresentar uma lista do que preciso fazer para me tornar uma diabética modelo:

– Vencer a preguiça e voltar à academia
– Tomar um café da manhã mais equilibrado, com frutas, cereais, pão integral…
– Comer menos massa no meio da tarde: cortar pão-de-queijo, lanche…
– Fazer lanches entre as refeições
– Não abusar de doces diet, porque eles também engordam
– Fazer ioga, meditação, enfim, ficar mais zen
– Rir muito, muito, sem parar
– Parar de dizer: eu não posso
– Começar a dizer: eu não quero
– Driblar a vontade de comer doce, nem que seja um docinho de nada
– Não ficar muito tempo sem comer entre as refeições
– Levar sempre na bolsa um barrinha de cereais diet e um polenghinho light
– Deixar uma balinha ou saquinho de açúcar para emergência (hipoglicemia)
– Não esquecer de tomar o remédio um dia que seja
– Não me estressar com o que não merece estresse
– Ser feliz, mesmo quando a vida estiver amarga

Indecisa? Não!


Ser diabético tem uma vantagem. Quando eu ainda não tinha diabetes, e ia comer um doce, sempre ficava na dúvida do que escolher. Eram tantas as opções… Hoje, eu não tenho mais este problema. Quando eu quero comer um doce diet, normalmente tenho no máximo quatro opções. Isso na Ofner, que tem o selo da Anad. Em outros locais, há uma ou duas opções de doce diet. Como eu sou muito indecisa, isso facilita as minha escolhas. Viu? Ser diabético também tem as suas vantagens. Depois, vou dar umas dicas de lugares bacanas para comer um falso doce, como este aí do lado. Aliás, é uma delícia esta tortinha de morango da linha light da Ofner.

Pão françês, opção diet


Depois do episódio que eu contei ontem, fiquei me policiando para me alimentar direitinho nos dias posteriores. Fui bem comedida. Não abusei em nada. Tudo bem, talvez em uns uns pãezinhos de queijo nos intervalos.

Fiz coisas que não fazia há algum tempo: abusei das saladas, comi frutas (não exageradamente, porque não podemos comer um monte de uma só vez), e equilibrava muito bem no prato a quantidade de massa. Acho que deu certo, porque eu me sentia bem durante o dia.

Mas confesso que fiquei com saudades do café da manhã de padaria, que eu adoro. Acabei de voltar da padoca aqui perto de casa. Adivinha o que eu pedi? É claro, o velho e bom pãozinho na chapa e uma média. Delícia. O detalhe é pedir sem miolo (ou canoa) e com pouca manteiga. O leite, peça desnatado. Na Dengosa da Melo Alves, eles têm a opção de pão francês integral diet, uma boa pedida para os diabéticos. Onde também sei que se encontra desse pão francês integral é na Iracema, no Brooklin. Quem souber de outros lugares e quiser indicar aqui, a comunidade diabética agradece.

A Dengosa fica na Rua Melo Alves, número 281, Jardins. Telefone: (11) 3061-2919 ou 3064-0287.

Já a Iracema fica na Rua Guararapes, esquina com a Rua Nova York.

Nada para diabético

Oi, pessoal, desculpem-me a ausência nestes três dias. É que eu acabei de voltar de uma pequena viagem de trabalho. Teve um episódio, estes dias, que me fez lembrar algo que sempre acontece comigo e acho que com muitos diabéticos. Estava num evento e havia almoçado por volta de 13h. Como todos sabem, não podemos ficar mais de três horas sem comer que a coisa começa a se complicar. No meio da tarde, teve só um “welcome coffe”, ou melhor, em português claro: um café de boas vindas. Acontece que neste café só havia café puro e… adivinha. O quê? Como você é muito esperto, acertou: doce. Isso era por volta de 17h, 17h30. Fui lá e cometi o pecado: duas bolinhas sei lá de quê, doces e cheias de massa. Tudo de bom para um diabético.

E lá fui eu para o evento que começava às 18h e só terminava às 21h30. Chegou uma hora que a minha cabeça parecia que ia parar. Começou a ficar lenta, pesada. Até que eu decidi sair da sala rapidamente, ir até o quarto e atacar um pacotinho de 25g de batata frita. Devorei o mais rápido que pude e voltei à labuta, até o jantar às 21h30. Tá certo que também houve uma falha minha, poderia ter pedido um lanche no meio da tarde, ter lembrado de levar uma barrinha de cereais diet e um polenghinho. Mas é que eu estava crente que no tal café teria algo que eu pudesse comer.

O fato é que fico fula da vida quando vou em algum aniversário, recepção, evento, seja lá o que for, que só ofereça doce para os convidados. Tem familiar que sabe que a gente não pode comer açúcar e não lembra de comprar um refri diet que seja. Puxa! Que falta de consideração, de respeito.

Como tudo que tenho colocado aqui, prometo desenvolver mais o tema. Hoje, estou cansada.