Arquivo mensal: março 2008

Coluna no Portal Diabetes

Estou muito feliz com a estréia da minha coluna, nesta semana, no Portal Diabetes. A primeira vez que eu entrei no Portal Diabetes, estava em busca de conteúdo de qualidade sobre a doença. E encontrei um site que aborda o tema de uma forma ética e responsável, com informações sérias e de relevância. Participar de um espaço assim, é um reconhecimento do meu esforço e da meu engajamento para informar cada vez mais as pessoas sobre o diabetes, e sobre como conviver bem com a doença.

Aguardo vocês por lá, semanalmente.

Portal Diabetes: http://www.portaldiabetes.com.br

Dar um chega pra lá na preguiça

preguiça

Ando meio preguiçosa para fazer ginástica. Fico enrolando, arranjo mil coisas para fazer, assim tenho a minha desculpa. Não pode, não pode, não pode. Não pode pra você. Não pode pra mim. Ficar sem fazer atividade física é um grande erro, uma grande bobagem. No diabetes, a atividade física faz toda a diferença. Vamos dar um chega pra lá na preguiça e curtir a boa saúde. Um bom dia pra vocês.

Contagem de Carboidrato

livro

De tempos em tempos, volto neste tema: contagem de carboidrato. Quem tem interesse sobre o assunto, já pode tirar as dúvidas com o livro “Contagem de Carboidratos e Monitorização – 101 respostas”, que acaba de ser lançado pela Editora Metha. De autoria das nutricionistas Luciana Bruno e Gisele Rossi Gouveia, da enfermeira Paula Pascali e de outros profissionais, o livro é o resultado de mais de 10 anos de experiência no acompanhamento de pacientes diabéticos. Não li ainda, mas o formato de pergunta e resposta parece ser bastante didático e interessante para responder as principais dúvidas de forma eficiente.

Companhia doce (para diabéticos e não diabéticos)

Ontem foi Páscoa, e estou feliz por não ter nenhum ovo em casa para aguçar a minha vontade de comer chocolate. Combinei com meu marido que não nos presentearíamos com ovos de Páscoa. Cumprimos o combinado. E hoje acordei sem nada para me atentar. Tá certo, existem excelentes ovos diet. Aliás, comi ontem na minha mãe o Alpino Diet da Nestlé. Eu amei. Mas resolvi deixar a minha parte por lá. É que quero emagrecer. E, se ficar comendo chocolate como uma condenada, não vou atingir o meu objetivo.

De qualquer forma, a Páscoa foi mais do que doce para mim. Foi mel puro, doce de leite, leite condensado. Fiquei na minha mãe o dia inteiro. Matei saudades da companhia de todos. Almoçamos, “brigamos” (afinal, somos em cinco, as divergências fazem parte da nossa rotina), brincamos, jogamos e rimos muito.

Só faltou o papai e a vovó, que já estão em outra dimensão. Mas, onde quer que eles estejam, devem ter ficado realmente contente em nos ver reunidos.

Que a semana seja muito doce para todos nós! Que realmente possamos incorporar este espírito de renovação que a Páscoa nos traz.

Feliz Páscoa (diet)!

A Páscoovoa já é amanhã e não tive tempo de pesquisar os ovos diet no mercado. Espero que vocês tenham tido mais tempo e apreciado as opções, que, a cada ano, aumentam.

Uma Páscoa maravilhosa para todos vocês! E não exagerem no chocolate. É diet, mas engorda!

Diabetes emocional?

estresse

O Jorge apresenta-nos uma dúvida interessante sobre diabetes emocional:

“Minha sogra acha que o diabetes de suas duas filha é emocional. Desde os 5 anos elas são diabéticas, o que vocês me falam sobre isso?”

Pelo o que eu pesquisei, não existe diabetes totalmente emocional, já tem de haver uma pré-disposição genética. E o estresse prolongado pode somente antecipar o aparecimento, e não ser a causa única e exclusiva do surgimento da doença.

No caso delas, que são diabéticas desde os 5 anos, trata-se de diabetes tipo 1, que é uma doença auto-imune, portanto, sem relação com estresse emocional.

Para esclarecer melhor a sua questão, é interessante você consultar um endocrinologista ou a Associação Nacional de Assistência ao Diabético (Anad).

É importante salientar que eu não sou médica, nem cientista, ou nutricionista. Sou jornalista, e tenho diabetes. O espaço que criei é para compartilhar a minha história, a minha experiência, por isso não posso responder as questões do ponto de vista científico ou técnico. Assim, quando não posso esclarecer totalmente a dúvida, indico outras fontes de pesquisa.

Serviço:

Anad: www.anad.org.br

Controle glicêmico e alimentação

A Hildete deixou o seguinte comentário:

“Minha diabetes está 107, o que posso fazer para que volte a ficar 99 ou menos? Tem alguma tabela de alimentos a seguir?”

Prezada Hildete, você precisa consultar um médico. A partir do seu histórico, ele vai poder orientá-la sobre a sua alimentação, ou encaminhá-la ao nutricionista. Mas, veja, não é o seu diabetes que está 107, é a sua taxa glicêmica de jejum, ou glicemia de jejum. Esta é que deve estar até 99 para os padrões normais. Para um diabético, a taxa de 107 é considerada uma boa glicemia de jejum. A pós-prandial, ou seja, duas horas após a alimentação, estando na faixa até 146 está ótima.

Para um controle maior, o básico é: cuidado com os carboidratos, prefira os compostos, feitos com farinha integral aos carboidratos simples, como massas brancas, pão francês, arroz branco, entre outros. Componha o cardápio com pães integrais, granola light, frutas, uma de cada vez ao longo do dia. E a minha médica orientou-me: “sempre que comer um carboidrato, combine com uma proteína”. Ou seja, se comer macarrão, que seja acompanhado de um frango grelhado, por exemplo. E não esqueça de praticar atividade física. Meia hora de caminhada por dia vai regular melhor a sua glicemia de jejum.

Mais informações, como acesso a tabela de contagem de carboidrato, a tabela de índice glicêmico, entre outras, acesse:

Anad – www.anad.org.br
Sociedade Brasileira de Diabetes – www.diabetes.org.br