Gravidez e diabetes: na expectativa


Hoje, inauguro uma nova fase deste blog. Serei mãe. E, aqui, quero compartilhar esta experiência maravilhosa. Quero compartilhar com vocês como é ter diabetes e ficar grávida: a preparação, os cuidados, a alimentação, as dúvidas e os medos. 

Capítulo 1 – Na Expectativa

A vontade de ser mãe sempre esteve latente, mas em razão da vida profissional, das viagens anuais de férias, e de inúmeras outras desculpas, fomos deixando passar o tempo. Em 2008, pouco antes de completar 34 anos, decidimos que já era hora. Meu marido já tinha 37 anos. E, finalmente, abrimos a fábrica em junho. Antes mesmo, em maio, já comecei a tomar ácido fólico. Fizemos uma bela viagem pela Inglaterra e pela Itália, que poderia ser a última antes da gravidez. E foi.

O tempo foi passando. Em dezembro, prestes a viajar para Nova York para passar o Revéillon, fui a minha consulta de rotina. Tenho diabetes MODY, que é genético, desde os 29 anos, e controlo com medicamento. Na consulta, a minha endrocrinologista, dra. Cíntia, aconselhou-me a começar com a insulina, para acertar a dose e chegar tranquila à gravidez. E me perguntou se eu já queria iniciar o tratamento. Era 19 de dezembro. Eu respondi que preferia deixar passar as festas, voltar de viagem, para, então, começar com a insulina. Confesso que sempre tive um pouco de medo dela, da tal da insulina. E talvez tenha adiado um pouco os planos de engravidar justamente por causa dela. Mas era chegada a hora. Voltando para casa, disse ao meu marido que deveríamos aguardar mais um pouco e que, no próximo ano, depois de iniciar e acertar o tratamento, tentaríamos novamente. Desencanei total. Pois não é que dois dias depois eu estaria grávida! É claro que não imaginava. Passei as festas em família sem nem desconfiar que a minha vida já começava a mudar para sempre. Fui viajar, tranquilamente.

 No dia 31 de dezembro, ao chegar aos Estados Unidos, senti um pouco de cólica. Estava crente que logo, logo, a menstruação viria. Eu sou um reloginho, tenho um ciclo curto, de 24 dias, e ele não falha. Pois falhou. Passou dia primeiro, dois, três e nada. Pensei que era por causa da viagem, da diferença de temperatura, pelo estresse de ter perdido a conexão em Washington para Nova York, no último dia do ano, sem perspectiva de conseguir outro vôo para o mesmo dia, de termos alugado um carro e ter ido pela estrada, na neve, com uma moça que acabávamos de conhecer no Aeroporto. E também tinha a temperatura. Saí de 30 graus para uma sensação térmica de 24 abaixo de zero. Sei lá, fiquei achando que era influência de todas essas coisas, ou alguma delas.

Estávamos com um grupo de amigos. Para aguentar o friozão, bebíamos todos os dias. E, bem eu, que não sou de beber, bebi até conhaque depois do almoço do primeiro dia do ano. O frio estava de lascar. Bebi vinho: branco, tinto e rosé. Bebi cerveja. Mais para o fim da viagem, quando comecei a desconfiar mais, parei com a bebedeira. Afinal, voltei dia 7 de janeiro e nada.

No dia seguinte, fui até o laboratório. Tinha um pedido bem antigo de exame de sangue. Fiz, logo de manhã, e fui para a casa da minha mãe. A todo momento, consultava a internet. Nada de sair o resultado. Até que resolvi comprar um de farmácia. Fui ao banheiro e foi só pingar um pouquinho de urina. Um segundo, e lá estavam as duas linhas vermelhas, bem fortes. Não havia dúvidas: eu estava grávida! 

4 ideias sobre “Gravidez e diabetes: na expectativa

  1. chirlene

    Olá, sou diabética tipo 1 à 2 anos, tenho um lindo filho de 3 anos (quando o tiv ñ tinha a diabetes). Bom só penso em engravidar denovo, minha glicada está em 5,4 ( vem nesse nível a vários meses. + de 1 ano). Já fui a nutricionista q já me passou uma dieta e estou com a consulta da endocrino e do GO marcada p essa semana. Gostaria de saber como vc conseguiu controlar sia glicose durante a gestação e como foi a mesma?
    Muito Obg desde de já e desculpe o incomodo.

    Resposta
    1. Luciana Oncken Autor do post

      Chirlene, conto tudo aqui, no textos desta aba “Gravidez e Diabetes”. Consegui controlar com dieta, atividade física, monitoramento frequente e ajustes nas doses de insulina. Deu tudo certo. Sua glicada está ótima! Vai em frente! Conte-nos tudo. Beijos.

      Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s