Arquivo mensal: maio 2009

Gravidez e Diabetes: viagem

Pessoal, companheiros de blog! Estou indo viajar hoje de férias. Para mim, será mais um desafio. Primeira vez que faço uma viagem longa tomando insulina. Vou ter muita coisa pra contar, mas não sei quando vou conseguir atualizar o blog. Por isso, conto com vocês. Continuem compartilhando experiências e atualizando por mim este espaço. Sempre que puder, dou um alô. Beijos.

Gravidez e diabetes: desejos

A Margarete, assídua frequentadora deste blog, deixou um comentário no post anterior perguntando sobre os meus desejos na gravidez. Sabe que eu não os tenho? Tive algumas vontades, mas não era nada desesperador. Tinha vontade de comer frango assado, mas só nos três primeiros meses. E, outro dia, quis um bolinho diet com geléia de amora, também diet, que tem numa casa de chocolate no bairro de Higienópolis, aqui em São Paulo. Chama-se Lab. Como fiz o ultrasom naquele dia, aproveitei para traçar um. E matei a minha vontade.

Tive algumas aversões também, por exemplo, por qualquer legume muito aguado, tipo chuchu. Não conseguia comer arroz. E café, que eu amo de paixão, não descia de jeito nenhum. Não conseguia sentir nem o cheiro. Passou, mas eu continuo maneirando. Tomo uma ou duas xícaras por dia, apenas. Antes da gravidez, passava o dia tomando café. Na minha dieta, o jantar era salada e grelhado. Tinha dias que a salada não ia. Se fosse no almoço, tudo bem. Mas à noite queria outras coisas. Também passou.

Os desejos que eu tenho são outros. São desejos que a Margarete também deve ter tido em sua gravidez: que eu consiga controlar minha glicemia direitinho até o final, que o meu filho nasça bem e não tenha nenhuma complicação por causa do meu distúrbio, que ele não venha a ter diabetes (o que vai ser difícil, já que o meu diabetes é MODY* e tem um fator hereditário enorme), nem agora, nem quando for mais velho, mas se for para ele ter, que ele viva bem de qualquer forma.

*às vezes, falo que sou tipo 2, porque é mais fácil das pessoas entenderem que não sou insulino-depentente, mas o meu diabetes provavelmente é MODY, um tipo genético que passa por gerações. A minha mãe tem, além de mim, e mais dois irmãos. Eu adquiri com 29 anos, meu irmão com 25 anos, e a minha irmã com 36. Dois ainda não tem e espero que não venham a ter. A vantagem, se é que isso existe em se tratando de doença, é que o MODY é de mais fácil controle, não é insulino-dependente, e traz menos complicações. Pelo menos é o que dizem os estudos até agora. Mas temos de ter todo o controle, claro, como qualquer diabético.

Gravidez e diabetes: aprontando

Olha, confesso que ontem abusei. Foi aniversário da minha mãe. Como o pessoal chega tarde, belisquei umas besteirinhas. Por volta de 17h, havia tomado um café com leite e um pão-de-queijo delicioso no Pão-de-Queijo Hadock Lobo. Fui para a minha mãe por volta de 20h, quando comecei a comer as besteirinhas, mas ainda teríamos pizza. Quando tirei a glicemia, por volta de 22h, estava 192. E pensei: “e, agora, como vou comer pizza?”.

Ah! Tomei 3U de Humalog. Passaram-se uns 25 minutos, tirei a glicemia e estava em 156. Tomei mais 1U antes de comer um pedaço e meio de pizza e torta mousse de chocolate diet de sobremesa. Aliás, aprovadíssima. Como lá em casa, eu, minha mãe, minha irmã e meu irmão somos diabéticos (só tenho um irmão e uma irmã que não têm diabetes), e ainda viria uma tia diabética, passei na Galeria dos Pães, na Estados Unidos com a Hadock Lobo, na região dos Jardins, aqui em São Paulo, e comprei a nossa opção diet. Lá, eles têm uma boa variedade de doces sem adição de açúcar, entre eles, brigadeiro de colher (uma delícia!).

Voltando as minhas estripulias, até que a tática deu certo. Uma hora depois da comilança, a minha glicemia estava em 155. A minha meta para este período é 150. Hoje de manhã, estava acima da meta estabelecida, que seria 90, mas estava em 100.

O erro foi ficar beliscando. Devia ter feito um lanchinho intermediário, por volta de 20h. E, depois, aguardar o tempo de chegada da pizza. Tomar a Humalog, 2U, como eu sempre tomo, que o controle teria sido melhor e mais fácil. E a minha glicemia estaria dentro dos 90 hoje. E tenho de evitar comer tão tarde. Só fiz isso porque era uma exceção. Afinal, era aniversário da minha mãe.

Mais uma opção de sobremesa diet

Queijo com Damasco

Queijo com Damasco: light, que é diet

Como eu já falei aqui, agora, durante a gravidez, eu estou  fazendo o acompanhamento com uma nutricionista. E tem sido muito bacana para o controle do meu peso e da minha glicemia. Na quarta-feira, dia 13, tenho a minha consulta do mês. Ela vê o quanto eu engordei, se está dentro do planejado. Faz as dobras cutâneas para saber o quanto do peso que engordei é gordura e quanto não é. Tira todas as medidas. Passa o cardápio de cada refeição. É bem bacana porque você faz todo o acompanhamento. Eu estou adorando.

E ela, a Alessandra, tem uma pastinha com todos os produtos diet que existem. E ela me apresentou uma sugestão bem legal de sobremesa. Experimentei e aprovei. É um queijo danúbio com geléia. Tem de frutas vermelhas e de damasco. Mas atençnao ao rótulo. O que eu achei meio confuso é que tem os cheesecakes, que são light, mas adoçados com açúcar. E tem os queijinhos com geléia, que são light, e adoçados com adoçante. O negócio é ficar de olho no rótulo, porque as embalagens são muito parecidas. E vamos falar com a empresa para difrenciar melhor um tipo do outro.

Eu encontrei, aqui em São Paulo, no supermercado Pão de Açúcar. Se você tiver dificuldade de encontrar, entre no site da Danúbio e  informe-se. A proveite para ver os rótulos dos produtos.

Serviço:

www.danubio.com.br

Dia das mães

Hoje é Dia das Mães. Parabéns a todas! É a primeira vez que comemoro a data e ganhei até presente do meu marido. A glicemia estava sob controle em jejum, marcando 90. Estou feliz. O meu bebê ainda está guardadinho na minha barriga, mas já me sinto muito mãe. Um bom dia!

Gravidez e Diabetes: insulina só até o parto

Ontem, fui à consulta pré-natal. Adoro minha obstetra, que já era minha gineco, ela é um pouco psicóloga e eu pude desabafar um monte e ouvir coisas bacanas. Está tudo ótimo comigo e com o meu pequeno. Estamos indo bem.

No final da gravidez, ela disse que eu, provavelmente, vou ter de tomar o dobro da insulina em relação ao que tomo hoje, mas que isso é natural A boa notícia é que, como eu não sou insulino-dependente, vou poder deixar de tomar insulina no dia seguinte, e voltar a tomar hipoglicemiante.

Ela também me orientou quanto à viagem. Disse que poderia ir ajustando a dose, porque provavelmente é o que eu vou precisar fazer. Nos EUA não tão fácil encontrar comidinhas saudáveis como aqui em São Paulo.

Controle: hoje, estava com 95 em jejum.