60 ideias sobre “Bom dia!

  1. Anderson da Silva Gonçalves

    Parabéns pelo controle! A minha de jejum estava 146. É que ontem eu comi muito tarde, fui inventar de fazer esfiha de carne, mas não sabia que ia demorar tanto. Já era mais de 1 da madruga e eu não tinha ido dormir. Acabei por não terminar as esfihas e fiz só hoje pela manhã. Ficou uma delícia! Mas não pude comer muito, né. Com 146… Rsrsrs. Ser diabético é assim mesmo.

    Resposta
  2. Rafael holanda

    A DIABETES NÃO DAREI A CHANCE DE PINTAR A SUA MODA A RETINA DOS MEUS OLHOS;NÃO PROCURAREI BENGALAS PARA LOCOMOÇÃO PARA NÃO SATISFAZER UMA PATOLGIA QUE SE TORNA GRANDE PELO NOSSOS PRÓPRIOS ERROS. NÃO DAREI MINHA PERNA A SEPULTURA POR IMCOMPETENCIA DE MINHAS AÇÕES, POIS O QUE NASCEU AO MEU LADO TEM QUE PARTIR JUNTO COMIGO.NÃO DAREI A DIABETES O DIREITO DE TORNA-ME OBESO, POIS NÃO SEREI CAPAZ DE COLOCAR CHIFRES EM MIM MESMO DIZENDO QUE NÃO COMO DOCE E ESCONDO UMA LATA EM BAIXO DA CAMA.VIVEREI PARA VIVER MELHOR, BUSCANDO CONCILIAR A BELEZA DOS MEUS SONHOS COM PEQUENOS ERROS DE METABOLISMO, POIS ATRÁS DA MINHA PEQUENA CRUZ, EXISTE MUITOS QUE ADORARIAM TROCAR DE PATOLOGIAS COMIGO E AINDA ME DA UMA VANTAGEM.

    Resposta
  3. MARGARETE

    Hoje a minha estava 118 no jejum. Vocês já notaram que sempre que queremos comer algo diferente tipo massa ,antes de comer fazemos o teste e ela tá alta , parece até de propósito rss.
    bjs

    Resposta
  4. Anderson da Silva Gonçalves

    Rsrsrs. Mas até que comigo não acontece com tanta frequência de dar alta antes de eu comer massas. Nas duas últimas vezes que fui ao habibis, (sou fã de esfiha de carne!) deu glicemia de 87 na primeira e de 76 na segunda. Um dia desses fui comer macarrão com calabresa na casa de um amigo e a glicemia estáva em 110, sendo que a comida ainda ia demorar pra sair, mas mesmo assim comi pouquinho. Por algum motivo, é a de jejum mesmo que não quer se controlar. Hoje estáva em 136. O bom é que a cada dia que passa, mesmo a de jejum está menos descontrolada.

    O interessante é que ontem eu comi esfiha o dia inteiro praticamente. (café da manhã, da tarde e da noite) E foi o primeiro dia que o glicosímetro não acusou hiperglicemia. Medi cinco vezes, entre oito e uma da manhã, e ainda tive uma hipo á tarde (52 mg/dl), que por sinal é o que mais vem acontecendo comigo.

    Ah sim, e sobre cozinhar, bom, eu gosto muito, então posso até dizer que cozinho bem sim, pois sempre fazemos bem aquilo que gostamos de fazer, não é?
    Hoje mesmo tenho de fazer meu arroz integral, que está esquecido lá no armário há dias. Eu já gostava de cozinhar, mas até então só fazia o nescessário, como arroz, feijão, e bolos de cenoura e chocolate (rsrs, ou não tão nescessário assim…). Mas depois do diabetes eu peguei gosto de vez pela cozinha, e hoje faço de tudo, aliás, quem cozinha mais por aqui sou eu e meu pai do que minha mãe e minha irmã, é até engraçado. Faço legumes, verdurduras, saladas, biscoitos integrais, massas, salgados, tudo. Minha próxima experiência será fazer pão integral, só falta alguns igredientes que não encontrei ainda. Será que vai ficar bom? Pelo menos a esfiha deu super certo. Minha irmã disse que ficou melhor do que a dela. E olha que eu quase joguei a massa fora pensando que tinha dado tudo errado, porque ficou um grude, depois parecia borracha, e eu havia trocado alguns igredientes, como o açúcar por amido, e pensei que por isso ia ficar horrível, mas depois de assada o resultado foi surpreendente, parecia pão daqueles que se compra em padaria, quentinho, e recheado!

    Amigos do blog, eu amo esse lugar!
    Abraço a todos!

    Resposta
  5. MARGARETE

    Que bom Anderson que isso não acontece com você! Pelo jeito você fez estoque de esfiha rrsss . Sabe também faço teste umas 5 vezes ao dia.
    Adoro lasanha com molho branco,mas só posso comer quando a glicose está baixa, aí eu mesmo faço ela. Ah você sabe fazer bolo diet ,sem ele ficar baixinho? pois todo que faço sai assim , e bolo diet com recheio e cobertura você sabe fazer? Já tentei fazer mas não sai bom.
    Em São Paulo no shoppin Center Norte tem um lugar que se chama “Amor aos Pedaços” não sei se vocês conhecem ,que tem tortas deliciosas 0% de açúcar, já provei e não subiu minha glicose ,tem muito tempo que não vou lá ,pois moro no estado do Rio.
    Que tal abrir um restaurante? Já sei só com comida diet e light, rrsss to brincando ,mas até que não é má idéia né?
    bjs

    Resposta
  6. Anderson da Silva Gonçalves

    Bolo diet ainda não fiz, até porque o dia em que eu ia fazer a minha irmã se ofereceu, então ela que fez pra mim. Era um bolo de maracujá. Ficou um pouco doce, por que talvez a medida de adoçante da receita estivesse grande demais para a medida dos outros igredientes, mas ficou muito bom, e sem açúcar! Na próxima vez agente já sabe que tem diminuir um pouco no adoçante. Quando ela fez ele ficou igualzinho, em termos de aspecto, àqueles bolos comuns, com um furo no meio, pois ela usou esse tipo de forma, que deixou o bolo alto. Às vezes o bolo fica baixo porque usamos aquela forma retângular, que não serve pra todos os tipos de bolos. Depende muito da quantidade da massa. Se a massa for pouca pro tamanho da forma, com certeza ele ficará baixinho.

    Agora, sobre as massas, por incrível que pareça ontem aconteceu comigo. Fui na casa de uma amiga e ela ofereceu bolo, super recheado, com granulado, chocolate e leite condençado. Rsrsrs… Minha glicemia estáva em 280! Obviamente, eu não comi. Foi a primeia vez na vida que tive de recusar um bolo! Mas eu levei pra casa e de manhã pude comer um pedaçinho, e depois outro, porque a glicemia estáva 57. O bom é que eu já estou aprendendo a controlar os doces. Comprei um pacote de negresco já faz uns quatro dias e não comi nenhuma ainda, e olha que não faltou hipos, mas eu preferi tomar um chá com açúcar, ou café com leite com açúcar nesses momentos, do que comer bolacha, porque estou procurando evitar ao máximo coisas que façam mal à saúde. Então porque eu comprei? Ah, sei lá, eu gosto de ter por perto meus biscoitos favoritos, mesmo que não os coma!

    Forte abraço!

    Resposta
  7. MARGARETE

    Realmente o adoçante tem o poder de adoçar mais do que o açúcar. É mesmo nas receitas diet a quantidade de massa parece menor. Vou usar forma de pudim da próxima vez , rrrsss.
    Hum! leite condensado é uma delícia ,mas sobe muito a glicose eu nem coloco ele na boca eu fujo dele .
    Quanto as bolachas , recheadas são as piores faz muito bem em evitá-las. Sabe o meu favorito são waffer de limão, mas também não posso ,compro o diet de morango fazer o que ?
    Tem outra coisa que acontece comigo ,não sei se acontece com todo diabético , quando to nervosa dá uma vontade de comer doce.
    Bjs

    Resposta
  8. Karin

    Olá a todos!
    Hoje completam-se exatos dois anos que sou portadora do diabetes! Claro que não é e jamais será um motivo para comemorações, contudo posso comemorar o fato de que, por fim, consegui normalizar a minha glicada – graças a Deus. Agradeço de coração à minha família, aos meus amigos e, em especial, à uma amiga, a Dani, que me ajudou muito. Agradeço por estar viva e por poder trocar experiências com pessoas que já são diabética há muitosssssss anos, tais pessoas, são para nós exemplos de vida, pessoas que deram a volta por cima e conseguiram recomçear. Muitos estavam estudando, concluindo uma carreira, cheios de planos para o fututo, quando foram surpreendidos com a notícia que teriam de viver com picadas pelo resto da vida e com diversas restrições impostas pelo médico – pela situação! Mas, felizmente, o pior já se foi e temos à nossa frente um montão de motivos para alegrar-nos!
    Um grande abraço a todos que fazem parte do
    “Clubinho dos Mais Doces”….rsssss
    Abraços,

    Resposta
    1. Luciana Oncken Autor do post

      Parabéns, Karin! Pude acompanhar parte desse seu amadurecimento com a doença. Você está de parabéns! Lembro que no começo vc estava bem triste e confusa com a sua nova situação. Você me mandou alguns e-mails que mostravam a sua angústia. E, com o tempo, vi surgir uma nova Karin. Talvez a Karin de sempre, de antes do diabetes, que eu não conheci. Talvez esta Karin tenha ressurgido dentro de vc, com todos os seus sonhos, todas as suas expectativas e alegrias. E com algo a mais. Pq a doença amadurece a gente. Faz com que aceitemos melhor as limitações da vida, não só relacionadas à doença, mas a outros aspectos da vida também. A vida está sempre a nos surpreender, mas o bacana é que sempre encontramos novos caminhos e novas formas de enxergá-la. Tenho uma citação minha, que é a seguinte:

      Na vida, se ficamos sem chão, construímos passarelas.
      Se as passarelas caírem, criamos asas.

      Você criou asas Karin, que vão te levar longe.

      Beijos.

      Resposta
  9. Anderson da Silva Gonçalves

    Há cerca de dois meses, mas o médico disse que nasci com isso, não sei se é assim, mas o diagnóstico veio no final de março deste ano. Demorei pouco tempo pra me acostumar com a idéia, e apesar de já ter tido muitas complicações, até que aceitei com certa facilidade a doença. Sou do tipo 1, insulinodependente, e você? Vamos ficar aqui batendo o maior papo. Rsrsrs…

    Resposta
  10. Karin

    Oi Anderson! Faz pouco tempo mesmo que vc é diabético.
    Confesso que levei mais tempo pra me acostumar com a idéia! Sou diabética há dois anos e somente em meados do ano passado estou conseguindo me tratar de forma adequada. Foi complicado no início, mas graças a Deus não tenho uma complicação! A minha microalbuminúria está normal – o que mais me preocupa mesmo é condição dos meus rins!
    Mas, estranho essa obs do seu médico……”que vc já nasceu com isso”, estranho mesmo! Pois os sintomas são muito evidentes. E como vc é tipo 1, na maioria das vezes o tipo 1 é diagnosticado apressadamente, pois não há tempo, é preciso logo de cara tomar insulina. No início achei que eu era tipo 2 insulínica, mas me enganei, alías, os médicos estavam errados, pois qdo levei os resultados das minhas hemoglobinas, de imediato a Dra. Angela já me deu as insulinas (Lantus e Novorapid) para começar o tratamento no mesmo dia. Com quem vc se trata? E como é a sua alimentação? A minha médica é uma pessoa maravilhosa! Ela salvou a minha vida.
    Um grande abraço e no que precisar, é só chamar!
    Abraços,
    Karin

    Resposta
  11. Anderson da Silva Gonçalves

    Meu tratamento era mais rigoroso de início. Sem doces (só quando os comia escondido! Rsrs…) Sem frituras, rigor absoluto nos horários e na insulina, exercícios físicos diários, e muitas frutas, verduras e legumes no cardápio. Hoje estou um pouquinho mais relaxado, e por incrível que possa parecer, mais controlado também. Na verdade não devemos ser tão rigoros com agente mesmo, pois acabamos, em algum momento, saindo da linha, por revolta, irritação, e não ocnseguimos nosso objetivo.
    A família pegava muito pesado, e eu acabava burlando a dieta na primeira oportunidade, por isso era comum a glicemia passar de 300, 350, todos os dias, e eu achava normal, porque mesmo na dieta que seguia (rigorosamente) no hospital, via a glicemia passar de 300 em quase todos os exames de destro. Antes só comia os alimentos dietéticos, não chegava nem perto do açúcar, e pães, só integrais. Na verdade eu já sabia que podia comer doce, pois sempre procurei, e ainda procuro, me informar ao máximo sobre diabetes, e os alimentos (pois pretendo ser nutricionista), então eu já sabia de certos mitos com relação ao açúcar, principalmente para nós que dependemos da insulina, mas não podia comer porque eles não entendiam. Só começaram a entender depois que eu passei praticamente uma semana inteira tendo que ser levado todos os dias ao hopital devido a crises de hipoglicemia, que me acarretaram sérios problemas pisicológicos, como alucinações e perca de memória. Foram momentos difíceis, pra mim e, principalmente, para a família, que é sempre quem sofre mais com as nossas dores. Mas enfim, depois disso, eles compreenderam que eu também podia, e devia, em certos momentos, comer doces, e em outros, não. Entenderam também que foi depois que pararam de pegar no meu pé que eu começei, por conta própria, a me conscientizar e me cuidar melhor. Hoje, apesar de já não ter o hábito saudável de comer fruta todos os dias, como antes, e consumir pouquíssimos embutidos e produtos industrializados, ainda mantenho boa parte dos hábitos que adquiri no início do tratamento: reduzi de vez na fritura, caminho sempre, faço alguns exercícios físicos (não tanto mais por causa das “hipos”) procuro me alimentar nos horários adequados, embora nos finais de semana fique quase improvável, devido a vários compromissos, aprecio bastante verduras e legumes, como pouco no almoço e no jantar (minha irmã até brinca quando vê meu prato: “tá de regime!?”), e carrego sempre comigo meu aparelinho, insulina (quando preciso) e algum doce na mochila, e só como quando preciso mesmo.
    Apesar de eu ainda ter muito mais hipoglicemias do que hiperglicemias, ainda tenho mais medo da hiper do que da hipo, porque, querendo ou não, na hipoglicemia os sintômas são muito mais evidentes, e precisos. É sempre assim, quando a glicemia está abaixo de 80, ou até um pouquinho antes disso, abaixo de 100 mesmo, já começo a sentir leve tremedeira, e abaixo de 60 é muito raro eu não começar a soar frio. Já na hiper, tenho até medo, pois nem formigamento, nem nada, ela pode chegar a 400 que eu não sei, pois não percebo nenhum sintoma, por isso fico muito preocupado quando fico muito tempo sem medir, e procuro deixar os doces só para os momentos que tenho certeza que os posso comer, talvez por isso mesmo eu tenha bastante episódios de baixa glicemia. A minha insulina é NHP, Hunmulog ((não sei se é assim que escreve), 25 U de dia e 15 U de noite, mas confesso que aumento um pouquinho pra poder comer massas, sempre aumentei. Hoje em dia a glicemia costuma ficar entre 100 e 200, a média, da última vez que calculei estáva em 147, o médico me disse que deveria ficar entre 150 e 200, que era o normal pra mim, então, segundo ele, essa média estaria ótima, não? O problema é que se for ver glicemia por glicemia, logo dá pra perceber que ela ainda tá meio descontrolada em alguns momentos, quando fica abaixo de 70 (que é sempre por volta das 11 horas da manhã) e entre 200 e 230, antes da aplicação noturna de insulina, sem contar que já faz dias que a glicemia de jejum fica na faixa de 130, que é muito alto. Hoje, finalmente, nesse horário da noite que costuma ficar mais alto, estáva em 177, considero um bom resultado.

    Nossa, fiz um relato aqui, rsrsrs…
    Agora, só uma pergunta. O que é microalbuminúria?!

    Abçs!

    Resposta
  12. MARGARETE

    Oi pessoal ! Em primeiro lugar quero parabenizar a Karin também ,continue assim com essa força e coragem .
    Bom meu diabetes foi diagnosticado quando eu tinha apenas 8 anos de idade ,naquela época foi bem difícil para mim ,pois eu não entendia direito porque eu não podia comer doces e as outras crianças sim, eu passava muito mal ,minha mãe e meu pai me levavam em médicos e eles não descobriam o que eu tinha ,eu caía muito na rua , minhas irmãs (tenho 3 irmãs ) tinham que comer doces escondido de mim, por causa disso perdia aula ,não podia comer lanche no colégio como as outras crianças ,minha mãe tinha que levar lanche para mim, muitas vezes outras crianças debochavam de mim eu não conseguia brincar na hora do recreio . Quem descobriu meu diabetes foi um senhor que tinha um laboratório na cidade ele resolveu pedir por conta própria o exame e chamou minha mãe para conversar e explicar o que estava acontecendo comigo . Em seguida minha mãe me levou ao médico e ele mandou que eu tomasse insulina e fazia teste de urina para medir a glicose na urina ,as fitinhas se chamava glico-fita ,pois naquele tempo não tinha esses aparelhos modernos para medir glicose no sangue . Minha glicose vivia alta ,mesmo com uma dieta rigorosa , tudo o que eu comia era pesado ou medido , eu comia meio pão frances sem miolo com uma colher de chá de manteiga ,um copo de café com leite e não podia repetir , meu almoço era duas colheres de arroz com três colheres de caldo de feijão a carne tinha que ser pesada numa balança (que meu pai teve que comprar para pesar meus alimentos ) e legumes e verduras a vontade , o mais difícil era uma criança da minha idade gostar de comer verduras a vontade , nem batata que eu gostava eu podia comer ,macarrão então nem se fala , até hoje eu detesto verduras acho que por trauma. Era tudo muito controlado ,quando ficava alta a glicose os médicos achavam que eu comia doce escondido . Depois eu fui crescendo meu pai me levava em tudo que era médico para achar um bom tratamento para mim, em todos os momentos que eu passava mal meu pai sempre esteve presente ao meu lado , ah que saudade de meu querido pai. Aí na minha adolescencia ,eu escutei cada bobagem ,que eu não ia poder namorar ,nem casar e ter filhos sofrir muito com isso, tive até um namorado que se afastou de mim por isso ,pois uma amiga dele falou para ele que ele se ficasse comigo ia ter que gastar muito comigo para comprar seringas de insulina ,fiquei muito chateada com isso . E assim a vida foi passando ,foi aparecendo novidades no tratamento do diabetes , chegaram os produtos diet . A última festa de aniversário que teve aqui em casa eu tinha 7 anos ,nem minhas irmãs puderam ter festa mais . Só passei a conhecer doces diet através de meu padrinho que trazia de São Paulo ,me lembro do meu primeiro ovo de páscoa que ganhei dele acho que tinha 19 anos .
    Meu pai tinha uma marcenaria de sócio com um rapaz ,e por causa dessas viagem que ele fazia para me levar em médicos e para fazer exames ,sim porque onde moro na época só tinha um médico que era clinico geral ,esse sócio dele achava que ele saía de viagem para passear ,aí meu pai teve que acabar com a sociedade, era tudo muito difícil para mim e para minha família.
    Depois cheguei a fazer tratamento num hospital aqui perto de minha cidade , foi onde encontrei melhor tratamento e onde fiz todo o pré natal e tive minha filha com uma equipe maravilhosa de enfermeiros e médicos amigos ,sim eles além de médicos foram meus amigos.
    Posso dizer que em todos os momentos dificéis encontrei pessoas maravilhosas que cuidaram de mim e me ajudaram .
    Já fiz laser por causa da retinopatia diabética ,em junho volto ao médico para fazer nova avaliação . Tenho anemia , meu último exame de clearence de creatinina estava 68 ,um pouco baixa a depuração .
    Hoje tenho 42 anos ,e tenho uma filha de 19 anos e um bom companheiro a meu lado. Nossa que desabafo!
    Bom um abraço a todos

    Resposta
    1. Luciana Oncken Autor do post

      Estou adorando este debate intenso, os depoimentos de vocês. Bem legal! Adoro saber a história das pessoas. A vida é isso, ou não é? Beijos e um bom dia a todos.

      Resposta
  13. Karin Jantsch

    Anderson e Margaret, amei ter conhecido vcs! Fiquei emicionada com a sua história Margarete. Realmente hoje temos muito mais vantagens por causa do avanço da medicina. Sobre as discriminações q vc sofreu, eu tb sofri, mas isso passa. Hj se alguém n é doente, um dia vai ficar, né? Dizem que o diabetes é a doença da longevidade, pois como controlamostudo o q comemos – optamos por alimentos mais saudáveis – e fazemos exercícios podemos viver muito mais do q uma pessoa considerada “normal” rsssss. Q coisa, né?
    Uma vez fui discriminada por ser diabética numa entrevista de emprego, me senti muito mal, sabia? Mas logo encontrei um trabalho. Sabe que existem milhões de pessoas diabéticas no mundo e muitas n sabem que têm?!?!?!?!
    Às vezes eu me sinto muito triste qdo penso no fardo que vou ter de levar p o resto da minha vida.
    Não julgo as pessoas qdo ela fazem comentários maldoso, pq muitas são “ignorantes”, não entendem nada de diabetes. Qdo como algum doce, tem gente q me pergunta com aquela cara de besta: “Vc pode comer doce?????”. Só pela pergunta dá pra ver q pessoa não entende nada mesmo e nem perco meu tempo em explicar, caso a pessoa não tenha disposição p ouvir.
    E Anderson, sobre a microalbuminúria, acesse o link:http://www.diagnosticosdaamerica.com.br/exames/microalbuminuria.shtml. Tá tudo explicado no site! É importante p os diabético sempre realizarem este exame, só por precaução. E sobre o que vc disse é verdade, só começamos a nos cuidar de verdade, qdo as pessoas param de pergar no nosso pé, rssssss…..é horrível ter alguém nos monitorante o tempo todo, já basta a própria monitoração q temos de faezr o dia todo, né? Rssss
    Um grande abraço,
    Karin

    Resposta
  14. Anderson da Silva Gonçalves

    É verdade karin, tudo o que disse. Penso igualmente, inclusive sobre a longevidade. Apesar do diabetes ser a terceira maior causa de morte no mundo (podendo ser na verdade a primeira, pois nas estatísticas não contam as complicações causadas pelo diabetes, como ataque cardíaco), é uma doença que nos dá a oportunidade de viver muito melhor, com mais saúde, pois a mudança de estilo de vida e o controle glicemico são de impacto muito positivo em nossas vidas, em tudo. O problema é que muitos ainda não aceitam a doença, e por isso não a controlam, dai tantas mortes… Um outro problema é que em muitos casos o diagnóstico é tardio, e ai os problemas acabam sendo quase que inevitáveis. Por isso tenho um pouquinho de medo, pois quando eu descobri que tinha diabetes, talvez já tivesse sido um pouquinho tarde, porque quase entrei em coma, então não sei qual será o efeito disso daqui há alguns anos. Mas se Deus quiser não terei mais grandes complicações.

    Abraços Karin!

    Resposta
  15. MARGARETE

    oi pessoal me sinto bem aqui nesse cantinho que a Luciana criou ,ouvindo os depoimentos e esclarecimentos e podendo deixar o meu também
    beijão a todos

    Resposta
  16. MARGARETE

    Não tenham medo ,continuem se cuidando, isso é muito importante e pensamento positivo tirem pensamentos ruins da cabeça. Bjs

    Resposta
  17. Laura

    Descobri que tenho diabetes em novembro de 2008 – logo após diagnóstico de hipertensão. Infelizmente não tenho conseguido resistir às massas (macarrão e pizza principalmente!). Como com toda aquela vontade como se minha felicidade estivesse condicionada a isso. Eu não sei o que faço, não tenho apoio, só ouço muitas críticas do meu companheiro quando como algo que não seria indicado para um diabético, mas a minha vontada de comer massa é tão intensa que há momentos em que nada mais importa a não ser o meu momento com um farto prato de macarrão. Eu gostaria sim de conseguir me controlar quanto a isso, mas…

    Fico arrasada comigo mesma. Vou ao mercado e compro muitas verduras, legumes e frutas. O único alimento ao qual eu não resisto é a massa, o doce não é essencial para mim. “Não estou sabendo lidar com essa situação”
    Será que tudo o que está acontecendo é porque sou inconsequente, sem força de vontade, me matando aos poucos?

    Estou com algumas complicações como esteatose severa no fígado, hipertensão intra-ocular, mioma e outros.

    Resposta
  18. Laura

    Foi bom para mim desabafar por aqui, já que às vezes me sinto como numa ilha deserta.

    Engraçado, se não fosse Deus em meu coração, já teria “entrado em parafuso” há bastante tempo. Tá complicado para mim, mas nesse caso parece que somente eu posso ajudar a mim mesma, e ainda assim não tenho sido capaz. Poxa, tenho capacidade e inteligência e perspicácia para tantas outras coisas…

    Resposta
  19. Laura

    Aqui ninguém pode me auxiliar, apenas ler o que estou digitando. Eu sei disso! Mesmo assim agradeço o tempo perdido em ler as minhas bobagens.

    Desculpa qualquer coisa.
    Boa noite.

    Resposta
  20. Anderson da Silva Gonçalves

    Laura, gostaria muito de conversar com você! Sou diabético tipo 1, e tive o diagnóstico em março deste ano. Pelo que eu li em seus comentários, posso dizer que vivi (e vivo) coisas bem semelhantes, e sei que se partilhar com você poderá ser de alguma ajuda, pois pra mim uma das coisas que mais me ajudou a aceitar a doença e me controlar foi ouvir outros diabéticos, que viviam situações parecidas com as minhas.

    O meu e-mail é: and.s.goncalves@gmail.com
    Entre em contato, ficarei muito feliz se puder ajudar, de alguma forma, de qualquer forma!

    Tenho um blog sobre o tema diabetes tmb, caso queira conhecer:

    http://diariodiabetes.blogspot.com

    Grande abraço!

    Resposta
  21. Karin

    Oi Laura!
    Você é DM 1?
    Sei como está se sentindo, já passei por isso. Normalmente, qdo a glicosilada está acima de 7 é normal sentir essa fome excessiva! Vc pode comer, mas precisa de orientações, entende? é necssário que vc consulte um edócrino!
    Não se condene por isso, ok?! Faz parte do processo, acredite. Lembro-me de que no início de 2007, qdo descobri q era diabética, eu tinha uma fome daquelas! Eu comia muito, muito mesmo….desde pizzas até chocolates. Emagreci cerca de 20kg, mas hj consegui recuprar 15kg. Qdo comecei a compensar a minha fome foi diminuindo. Ainda tenho vontade de comer doces e como qdo tenho vontade, só q dentro da minha dieta.
    Qto deu sua Hemoglobina Glicosilada?
    Meu e-mail é: karinjantsch1@gmail.com
    Abraços,
    Karin

    Resposta
  22. MARGARETE

    OI Laura isso também já aconteceu comigo , como disse a Karin seria bom você ter um endocrino te acompanhando e uma nutricionista ,pois dá para comer alguma massa sem se condenar por isso, é só controlar a glicose.
    Quanto aos outros problemas de saúde procure fazer o tratamento indicado pelo seu médico.
    Seria importante como já falei uma nutricionista .
    Abraço

    Resposta
  23. Fernanda

    Oi, pessoal!
    Estão tão ricas as discussões aqui! Vou tentar deixar meus comentários em geral:
    1) Lu, boa viagem! Volta logo
    2) Margarete: Tem “Amor aos pedaços” no Rio também, aliás foi onde começou. Tem no Barrashopping, Botafogo Praia Shopping, Copacabana… Não sei te dizer mais lugares pq hj em dia moro em Brasília, e por aqui também já tem!
    3) Anderson: você disse que diagnosticou a pouco tempo (2 meses), mas quantos anos você tem? Já sabe um monte sobre o assunto, hein!
    Mas tenho uma sugestão para você: não sei quem é o seu médico, mas quem sabe está na hora de procurar uma outra opinião sobre o seu tratamento? Por algumas coisas que vc falou aqui parece que ele é um pouco desatualizado. Com certeza você não nasceu com diabetes. Você nasceu com um gen dizendo que teria predisposição para ter a doença, mas não nasceu com a doença. Se tivesse nascido e não tivesse tido tratamento, já teria morrido! kkk
    Outra, você toma somente NPH? Não toma uma insulina tipo bolus, rápida? E o médico disse que a sua média deveria estar entre 150 a 200? É um pouquinho demais…
    Não sei onde você mora, mas procure um outro endocrino, talvez especializado em tipo 1, que poderá te dar mais informações e opções para um tratamento melhor!
    O pessoal aqui já me conhece, mas você não! Eu tenho 29 (quase 30 anos!), e tenho DM 1 há 21 anos, sem nenhuma complicação! Graças a Deus! Uso bomba de insulina há 1,5 anos e minha glicada está em 5,5. Concordo com você, também tenho mais medo da hiper do que da hipo, e assim acho que podemos conseguir um melhor controle.

    Sucesso pra todos!

    Beijo

    Resposta
  24. Karin

    Oi Fernanda!
    Como você conseguiu a bomba? Teve de comprá-la? Se teve, qual a média de gasto mensal que vc tem com a bomba?
    Um grande abraço!
    Karin

    Resposta
  25. Anderson da Silva Gonçalves

    Fernanda, tenho 21 anos, e também achei o médico meio desatualizado. Sobre a glicemia, já ouvi dizer que existe um nível de glicose específico pra cada um, mas não sei, talvez 150 á 200 seja meio demais. A única insulina que uso é a NPH, e embora seja impossível um controle absoluto, até que estou tendo bons resultados com a glicemia, mas hoje no jejum estáva 49, ainda tenho problemas com hipo, sem contar que ontem no jejum estáva 130, esse horário da manhã tem sido o mais difícil de controlar a glicemia.
    Sobre eu ter nascido com diabetes, talvez o médico quisesse dizer isso mesmo que você me disse, mas certamente ele não soube explicar.
    Já me consultei com outra médica, que parecia ser tão desinformada quanto ele com relação ao diabetes. Estáva pensando mesmo em procurar um endocrino, com certeza ele me ajudará mais no tratamento.

    Impressionate que você já tenha 21 de diabetes sem complicações, em 2 meses já tive várias. Você usa a bomba a muito tempo? Também tenho curiosidade com relação ao custo, e qual a sua média de glicemia pós-prandial utilizando a bomba?

    Ah, eu tenho uma dúvida, se alguém puder me ajudar. Sempre ouvi dizer, tanto de médicos quanto de nutricionistas que a glicemia ideal para o jejum é de 70 á 110 mg/dL, mas ultimamente tendo visto, principalmente na internet, que o ideal é entre 90 e 130. Procede?

    Fernanda, parabéns pelos seus 21 anos de controle, forte abraço!

    Resposta
  26. Karin

    Anderson, vc já ouviu falar naquelas fitinhas que medem a glicemia por meio da urina? Então, antigamente, era a única forma disponível para se medir a glicemia, mas para que a fita indicasse glicemia alta, a mesma tinha de estar 180 ou acima, acredite! Claro, um método menos eficaz mas o único que existia na época. Alguns ainda se utilizam deste método para controle glicêmico.
    Os valores das glicemias normais são: em jejum – até 110 mg% e após comer – até 160 mg%. Dizem que muitos dos que são “normais”, ou seja, não têm diabetes, após se alimentarem a glicemia chega a 140mg% ou mais – claro, vai depender muito do que a possa comeu.
    O ideal é manter a faixa sugerida, para fugir dos riscos.
    Eu não entendi, vc já tem complicações? Em apenas dois meses de diabetes?
    De acordo com as informações da minha médica, existem pessoas diabéticas que nunca cuidaram e não têm complicação alguma. Ela disse que isso varia de organismo p organismo. Às vezes uma pessoa pode ter predisposição para desenvolver problemas cardíacos, renais….e se ela não cuidar, poderá acelerar o aparecimento dos problemas….Se eu estiver errada, me corrijam!
    Sabe? existem coisas a respeito do corpo humano q eu simplesmente não consigo entender; tão perfeito, tão inteligente e tão vulnerável!
    Um abraço,
    Karin

    Resposta
  27. Karin

    Sobre as glicemias, encontrei uma entrevista com o Dr. Sérgio Atala Dib, coordenador do Centro de Diabetes da Escola Paulista de Medicina, da Universidade Federal de São Paulo, ele falando sobre a importância da medição da glicemia pós-prandial, menciona o seguinte:

    Diferença entre a Glicemia de Jejum e a Glicemia Pós-Prandial:-

    Glicemia de Jejum: Teste realizado após 8 a 10 horas sem alimentação. Valor recomendado: de 90 a 130 mg/dL

    Glicemia Pós-Prandial: Teste realizado após 1 a 2 horas da alimentação. Valor recomendado: < que 180 mg/dL

    Fonte:http://www.diabete.com.br/biblio/prandial.html – entrevista completa.

    Espero que tire proveito.

    Abraço,

    Karin

    Resposta
  28. Anderson da Silva Gonçalves

    Rsrsrs… Eu também tava lendo essa entrevista do Dr. Sérgio hoje, que coincidência, não? Na verdade foi por isso que fiquei com dúvida, porque já tinha visto em outro site o mesmo sobre a glicemia de jejum, que o normal era de 90 a 130.

    As complicações que tive se referem às crises de hipoglicemia constantes que eu tinha até 3 semanas atraz, todas com relação ao pisicológico. Tive depressão profunda, perca de memória, e alucinações. Mas tudo isso já faz parte do passado, graças á Deus. Se terei outras complicações, só o tempo dirá. Ouvi dizer que os efeitos da hiperglicemia (falência renal, catarata, derrame…) demoram cerca de dez anos pra surgir, isso é claro, em casos de pessoas que não fazem o controle da glicemia a longos prazos. Essa é a grande diferença entre hipo e hiper, enquanto a hipo causa complicações a curto prazo, causando mais danos ao cérebro, a hiper tem um efeito tardio, e pode afetar todo o organismo. Têm gente que acha que dá “sorte” com seu diabetes, pois não segue nenhum tratamento, não controla a glicemia e ainda assim não tem complicações, quando na verdade ela já pode estar em processo de falência renal, perda progressiva de visão, etc. É complicado.

    Karin, agradeço as dicas, valeu mesmo!
    fica na paz!

    Resposta
  29. MARGARETE

    Oi pessoal !
    Hoje me desloquei de minha cidade para uma cidade vizinha para fazer um teste ergométrico ,lá chegando fui ao consultório ,aí fui atendida pela secretária do médico ,me pediu minha carteirinha do meu plano de saúde ,assinei e fiquei esperando para ser chamada ,em seguida ela me perguntou se eu tinha o colesterol alto ,disse que não ,aí me perguntou se eu tomava algum hormonio eu disse que tomava euthyrox, ela escreveu num papel ,em seguida disse a ela que era diabética e que tomava insulina ela me olhou meio estranho e veio me perguntar se eu estava sentindo algo disse a ela que um pouco de dor de cabeça ,aí ela começou a dizer que era melhor eu voltar outro dia que quando estivesse mais disposta era para voltar a ligar e tentar uma nova vaga ,falei a ela que tinha vindo de outra cidade que era difícil para eu volta outro dia ela insistiu que não era bom eu fazer o exame hoje dizendo que diabético sente mal estar que poderia passar mal e que ali não teria recurso para mim. Aí ela me perguntou se eu tomava remédio para pressão disse que sim, mas que hoje não tinha tomado ainda pois a outra secretária quando agendou o teste me disse para eu não tomar no dia do teste ,pois poderia interferir no exame , em seguida ela entrou numa sala para falar com o cardiologista e voltou dizendo que o médico havia falado realmente para eu voltar outro dia .
    Ele não me atendeu ,nem para medir minha pressão ,já que eu tinha ido para lá sem tomar o meu remédio e estava com dor de cabeça . Achei horrível o atendimento ,resumindo ele ainda vai receber do meu plano pois deixei o papel assinado .
    Pelo menos ele teria que ter medido a minha pressão e deixado agendado outra data .
    abraço a todos

    Resposta
  30. MARGARETE

    Aqui eu minha cidade também levei minha filha a um endócrino ,pois ela tinha começado a apresentar sintomas do diabetes ,pedi para ele passar exames para verificar ,ele simplesmente olhou para minha filha e me disse não precisa posso afirmar que ela não tem diabetes ,olhei para ele com cara feia e disse dr como o senhor pode afirmar isso sem passar exame e com o histórico familiar que tenho de diabetes . Sai dali e falei nunca mais venho a esse médico .
    Levei minha filha em outro médico e ele passou os exames necessários ,onde foi diagnosticado o pré diabetes.
    Fico indignada com certos atendimentos médicos .
    bjs

    Resposta
  31. MARGARETE

    Anderson realmente é revoltante quando acontecem essas coisas.
    O bom é quando confiamos no nosso médico ,para mim ele tem que ser médico/amigo.
    Abraço continue se cuidando!

    Resposta
  32. MARGARETE

    Já fazem 34 anos que sou diabética ,quando era pequena não tinha essas modernidades e avanço que existem hoje.
    As consequencias da glicemia alta já apareceram : retinopatia ,fiz aplicações com laser , o oftalmo me disse que estou com um princípio de catarata bem leve ,meu exame de microalbuminuria mostrou que perco proteínas pelo rim ,mas continuo lutando contra tudo isso e tento sempre controlar a glicose com 5 a 6 furos diários nos dedos e sempre que tá alta procuro logo tomar a humalog e espero abaixar para poder comer.
    Pessoal aproveite os avanços que existem hoje para controlar a glicose !
    Abraço

    Resposta
  33. MARGARETE

    Moro numa cidade turística que não tem endocrino e nem outras especialidades . As pessoas tem que se deslocar para cidades vizinhas ou ir para fora mesmo ,para cidade grande infelizmente. A cidade tem apenas um hospital.
    Fazer o que né?
    bjs

    Resposta
    1. Bruna

      Boa noite Margarete, me desculpe perguntar mas de onde vc é? Pois tb moro em uma cidade turistica que tb não tem médico e só tem 1 hospital, será que estamos no mesmo lugar?

      Resposta
  34. Karin

    Sobre as complicações Anderson, não creio que hipos severas sejam complicações. Na verdade, até faz parte da adaptação, período no qual você está ajustando as doses de insulina e assim por diante. Fiquei assustada qdo disse que estava com complicações, como por exemplo, rinopatia ou problemas nos rins. Que bom q não é nada grave. Sabemos que a Hipo pode ceifar nossas vidas, por isso é preciso cuidado, mas segundo a minha médica, as hipos são consequencia de um controle rígido. E para evitá-las é preciso que vc tenha sempre em mãos um suco bem doce (sempre é melhor líquidos) e nunca esquecer-se das medições, principalmente antes de sair de casa, pq é muito provável que se alguém te encontrar passando mal na rua, não saberá o que fazer (como já aconteceu comigo). Outra coisa importante é você levar a carteirinha do diabético. Em alguns hospitais, não sei ao certo qual o problema, mas eles não sabem identificar quando um paciente está em coma diabético.
    Um abraço,
    Karin

    Resposta
  35. MARGARETE

    Oi pessoal ! Tudo bem?
    Gostaria de informações a respeito de um aparelho inteligente que mede a glicose e injeta insulina se precisar ao mesmo tempo ,alguém usa esse aparelho peço informações obrigada.
    beijos

    Resposta
  36. Karin

    Oi Margarete! Não utilizo esse aparelho, mas gostaria muito.
    Dizem que por meio dele podemos ter um controle muito bom, mas mesmo assim, é preciso seguir uma dieta, pois pelo que sei, o aparelho é ajustado à quantidade de alimentos que vc consome.
    Beijos,
    Ka

    Resposta
  37. MARGARETE

    Oi Karin, obrigada pela atenção. Bom eu estive pesquisando na internet sobre esse aparelho e deixei uma mensagem para eles pedindo mais informações e eles me enviaram por e-mail só não mandaram o preço. Essa foi a resposta deles:Obrigada por visitar nosso site.

    A Bomba de Insulina é um aparelho computadorizado programável, que faz envio de insulina ultra-rápida para o subcutâneo, em microdoses de até 0,5U, conforme a necessidade de cada paciente, durante 24 horas (BASAL). Antes de cada refeição o usuário precisa fazer o envio (pela bomba) de uma quantidade extra de insulina para os carboidratos que serão consumidos (BOLUS). Utiliza um reservatório para a insulina e uma cânula não metalizada (agulha metalizada é retirada após a aplicação) que fica inserida no subcutâneo e que devem ser trocados a cada três dias.

    A Paradigm REAL-Time é o Primeiro Sistema Integrado de Infusão de Insulina com Monitorização Contínua de Glicose.

    Esta tecnologia avançada combina uma bomba de insulina “inteligente” com o novo benefício da monitorização contínua de glicose em Tempo Real, com uma leitura de glicose a cada 5 minutos, disponível na tela da bomba 2 gráficos de tendência e setas de direcionamento de velocidade de oscilação da concentração de glicose (todo o dia e toda noite). Desse modo, poderá descobrir como a refeição, os exercícios, os medicamentos e o estilo de vida afetam os níveis de glicose. Assim, a imediata visualização das oscilações facilitará atuar de imediato evitando as hipoglicemias e hiperglicemias.

    Para a leitura em Tempo Real é necessário o uso de um transmissor, chamado MiniLink, que é conectado a um Sensor de glicose. A transmissão dos dados de leitura do Sensor para a Paradigm ocorre por radiofreqüência. Desta forma, o usuário do Sistema Integrado ficará com uma cânula no subcutâneo para infusão da insulina e um sensor em outro local (também no subcutâneo), para a leitura da concentração da glicose.

    Este sistema oferece um acesso direto aos usuários aos seus próprios padrões de glicose podendo participar de seu tratamento facilitando as correções imediatas nas hipo e hiperglicemias e também auxiliar nos ajustes na terapia que deverão se efetuados pela equipe médica.

    Lembramos que a terapia com bomba de insulina é uma indicação médica e que este sistema não substitui os testes de glicemia.
    Anexo arquivos

    Para informações sobre valores, por favor, envie seus telefones de contato, informe qual a cidade de origem e o nome do seu médico para podermos encaminhar sua solicitação ao representante comercial responsável da área.

    Disponibilizamos nossos telefones para qualquer contato.

    Atenciosamente,

    Medtronic – Divisão Diabetes
    (11) 2182-9267
    (11) 2182-9288
    (11) 2182-9266

    Resposta
  38. Davi Oliveira

    Boa noite a todos! Queria dizer-vos que sou portador de diabetes do tipo 1 desde 12 de Janeiro deste mesmo ano, sinto que a minha vida mudou muito em pouco tempo, e por vezes sinto falta da minha vida que eu levava antes…. Hoje em dia, passar numa aula antes do almoço até nisso mudou, fica tudo de olhos postos em mim quando vou a picar-me…Enfim, esta é a minha vida e infelizmente não dá para voltar atrás no tempo… Pelo menos, descobri que não estou sozinho neste mundo! Os meus amigos e família têm sido espectaculares… Abraços a todos…

    Resposta
  39. daiala

    Boa tarde!

    descubrir que tenho diabetes á 4 meses da pior maneira possivel fiquei em coma e varios dias enternada tenho apenas 23 anos e está sendo muito dificil para mim, mesmo utilizando a insulina meu açucar so fica entre 240 á 410 e é horrivel todos os sitomas que sinto faço á dieta corretamente mais o meu organismo não está aceitando muito bem.
    Espero que eu consiga controlar.

    Resposta
  40. Karin

    Oi Daiala, tudo bem? Tb fiquei diabética aos 23 anos e hoje tenho 25, já são dois anos na luta e graças a Deus estou conseguindo controlar. Mas me conte, qual insulina vc está utilizando? Qual o tratamento q vc está seguindo?
    Espero que possamos conversar mais. Aqui é um ótimo lugar para se trocar experiências de vida, vbc irá gostar.
    Abraços,
    Karin

    Resposta
  41. Cristiane

    Olá a todos….. tenho um sério problemas com a minha…. no ano passado fui parar no hospital em estado de choque, com a glicemia 17, fiquei no hospital tomanado glicose na veia, e o médico tinha dito ao meu namorado que se demorasse mais 5 min eu teria morrido…. é um perigo hipoglicemia…. a sorte é q ele tinha que trabalhar, e quando foi me acordar, estava todo ensopada e em estado de choque….
    detalhe tb, estava grávida….
    perdi o bebê, mas não foi consequência dessa hipo, mas infelizmente aconteceu….. é o segundo que perco, o primeiro em 2004, com 2 meses, e o outro 2008, com quase 4 meses…. mas acontece….
    hoje em dia tenho medo de engravidar denovo e acontecer isso…. sou diabética tipo 1 a 18 anos….
    Bom…. contei um pouco da minha história….
    bjks a todos…. e boa sorte…..

    Resposta
  42. Fernanda

    Olá, Cristiane,
    Não tenha medo. Parece fácil falar, mas também perdi um bebê em 2008 com quase 3 meses, depois de uma hipo de 18 (coincidência?). Agora, depois de 1 ano de tentativas, estou grávida de 19 semanas (faço 5 meses semana que vem, pessoal!!!) e em breve ele estará por aqui… O parto está previsto para maio e ele se chamará João Guilherme.
    Tenho diabetes tipo 1 há 21 anos e meio.

    Só um detalhe, não só para a Cris, mas para todos por aqui: não tenham medo da hipoglicemia!

    Muitos diabéticos não se cuidam direito porque têm medo da hipo e, com isso, ficam muito mais sujeitos a complicações crônicas. O Anderson postou uma mensagem acima que fala um pouquinho disso. Quer dizer, as híperes são muuuuito mais perigosas, embora não sintamos nada na hora. O problema é com o passar do tempo…
    O Anderson também disse que com a hipo temos danos cerebrais, mas até hoje isso não foi comprovado cientificamente. Existe muitas opiniões divergentes entre os médicos sobre os reais danos causados pelas hipos. Posso dizer que tenho hipos quase todos os dias, sem percepção, já chegou a 10, e nunca tive nenhum efeito nas funções cerebrais. Isso não é científico, é só um relato, mas fiquem atentos: a hiper é a causa de TODAS as complicações tardias do diabetes.
    NÃO TENHAM MEDO!
    Bjos

    Resposta
  43. Fernanda

    Para Margarete!
    Marga, você postou alguma coisa sobre a Real Time. Eu estou usando desde o início da gravidez.
    Você mencionou “aparelho inteligente que mede a glicose e injeta insulina se precisar ao mesmo tempo”.
    Isso não acontece. Ele não altera as funções da bomba prédefinidas por causa de hipos ou híperes. O que ele faz é medir a glicemia de 5 em 5 minutos e transmitir o resultado para a bomba. Você pode colocar alarmes de hipo e de hiper (no meu caso estão em 70 e 130). Se sua glicemia chegar aos níveis programados, ela alarma, tanto para hipos quanto para híperes.
    O problema é: ele mede a glicemia no tecido adiposo (glicemia intersticial), que é diferente da glicemia capilar do sangue. Às vezes a minha apita dizendo que está 140 e quando eu meço para conferir já está em 200. E vice-versa. Meço muito mais vezes agora! Já cheguei a 20 vezes. Isso é necessário pois sempre que a bomba alarma é recomendado que você confira a glicemia capilar e só depois tome as providências.
    Não é milagre. Depende sempre de você. Mas eu estou gostando muito.
    Vale a pena. Eu recomendo.
    Bjos

    Resposta
  44. Cristiane

    Para Fernanda….
    Olá Fernanda… obrigado pelas palavras….. e fico muito feliz de que esteja grávida novamente e que está correndo perfeitamente bem….. Graças a Deus…..
    Te desejo muitas felicidades, e que seu Bebê venha com muita saúde….. Afinal, embora eu não tenha filhos ” ainda “, é uma benção de Deus…..
    Um grande beijo no seu coração!!!

    Resposta
  45. Norma

    É a primeira vez que entro neste blog e gostei muito. Gostaria de saber se alguém poderia me dizer qual o aparelho de medir glicose, tem o menor preço de fitas para medir a glicose? Eu comprei o accu-check (peforma) e as fitas são muito caras.
    Também estou tomando 3 tipos de medicamentos para diminuir a glicose que são: metformina 3 X ao dia, glim epirida no almoço e galvus 2 X ao dia. O Galvus é muito caro, alguém saberia dizer se existe outro para substir o Galvus 50mg?

    Abraços a todos,
    Norma

    Resposta
  46. claudia roberta

    Olá, gostaria de conversar com alguém pois estou muito apreensiva. Descobri que estou grávida e desde então estou tomando insulina, pois já estava com diabetes antes, e também estava alta (200). E simplesmente não abaixa. Estou muito triste. E desejo tanto essa grávidez…Estou na quarta semana…Descobri minha gravidez em 04/06 e comecei a insulina dia 12/06/2012. Por favor…

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s