Arquivo mensal: junho 2009

Atividade Física: difícil tarefa

Tenho tido muita dificuldade em retornar à atividade física. Aqui em São Paulo, pra ajudar, tem feito frio. Imagina, você olha o termômetro marcando 15 graus e não quer saber de piscina. Mas eu me sinto culpada com essa história, porque sei que os controles melhoram, que a gente de se sente melhor, mais disposta, menos estressada. Então, por que eu não consigo enfrentar a preguiça?

Oscilações

Achei bacana estes cartazes da Pepsi. Juntos, vamos em frente!

Achei bacana estes cartazes da Pepsi. Juntos, vamos em frente!

O dia começa e lá vamos nós continuar o nosso desafio de “Viver com Diabetes”. Sabe uma dificuldade que eu tenho? Isso deve acontecer com muitos de vocês: quando estamos no meio de reunião, ou no meu caso, como sou jornalista, no meio de uma entrevista, que bate bem com a hora do nosso lanche. Ontem, aconteceu isso. Anteontem, também. Os dois lanches da tarde viraram um. E parece que isso já é suficiente para mexer com todo o organismo. Lá se foram meus bons números. Buá.

E eu fiquei me gabando de que estava com a glicemia sob controle… Doce ilusão. Bons tempos. Antes do café, ontem, estava 99. Tomei 3 U de insulina rápida. E o pós-café foi um susto só: 249! Pode?

As outras pós-prandias deram em torno de 140. Fiquei triste.

De madrugada, estava 102. Ao amanhecer, 104. Caprichei na proteína no café da manhã. Só me resta aguardar pra ver o que acontece.

Um bom dia pra vocês, doces amigos! Juntos, venceremos!

Gravides e Diabetes: sob controle

glicosimetroEstou muito feliz. Meus controles melhoraram 99%. Nada como receber uma bronquinha do bem. Semana passada fui a minha consulta pré-natal. Minha médica viu a minha tabelinha e me questionou:

– Você realmente está seguindo a dieta direitinho?

Eu respondi um sim não muito convicto.

Ela me disse que não ia aumentar a quantidade de insulina se eu não acertasse o consumo calório e o gasto. “A atividade física também é uma necessidade”, ela apontou.

Na verdade, eu estava era me enganando. Estou passando por um período de estresse no trabalho e andei deixando a saúde meio de lado. Não estava comendo nos horários certos, nos intervalos corretos. Exagerava um pouquinho na quantidade, às vezes, na qualidade. Ou seja, voltei das férias nos EUA, onde não conseguia ter um bom controle em razão do tipo de comida e dos horários e fuso horários, e caí num ritmo de me deixar levar pelo estresse. Mas sempre é tempo de rever a forma como estamos lidando com a coisa, analisar e retomar o caminho certo. Foi o que fiz.

Com a dieta da nutricionista em mãos, fui ao supermercado e enchi o carrinho de tudo, ou quase tudo, que eu preciso: iogurtes, frutas, castanha do pará, sobremesa de queijo diet, polenghinho, pão integral, queijo light. E voltei a fazer o que fazia no início da gravidez, até esses “probleminhas” me importunarem. Levo a minha “lancheirinha” com os lanches da manhã (iogurte com pouca granola), minha sobremesa (uma maça), o primeiro lanche da tarde (fruta com castanha do pará ou o cheesecake diet) e o segundo lanche da tarde (pão integral com queijo light). Resultado: minhas medições começaram a voltar ao normal.

No café da manhã, tenho me alimentado da mesma forma. E no almoço também. No jantar, que eu andava exagerando, principalmente no carboidrato, passei a comer salada com alguma proteína e muito pouco carboidrato. E, na ceia, tomo um copo de iogurte.

Sei que a minha glicemia de jejum voltou a ficar dentro da meta: menos de 90, na maioria dos dias. O mesmo ocorreu com quase todos os marcadores, com pequenos escapes.

Disciplina é a palavra de ordem. E só falta eu me disciplinar para voltar a atividade física. Sem disciplina, nada feito.

Ajuda aos novos insulino-dependentes

_resizeEstou sentindo na pele como é ter de tomar insulina. Tem sido uma experiência e tanto e eu aprendo a cada dia com os meus amigos de blog. Aí, lembrei-me do dia em que tive de comprar a minha primeira insulina. É, a primeira insulina a gente nunca esquece…

Como estava meio perdida, apesar de toda a dedicação da minha médica em me explicar tudo, fui comprar tudo o que eu precisava na ANAD – Associação Nacional de Assistência ao Diabético. Isso porque sabia que lá ia encontrar profissionais aptos a me explicar todos os procedimentos, e já com a caneta e a insulina em mãos.

Após comprar os produtos que precisava, fui atendida por uma enfermeira, que mostrou todos os procedimentos: como e onde aplicar a insulina, os cuidados, as precauções. Valeu a pena porque me senti mais segura.

Recentemente, a empresa Novo Nordisk lançou um programa chamado Novo Dia, em parceria com outro grande laboratório, a Bayer. Aliás, uma novidade e tanto. Dois laboratórios juntos num programa de apoio ao paciente. Pelo programa, além da pessoa poder esclarecer suas dúvidas sobre o diabetes, ela recebe explicações sobre o uso do glicosímetro para monitoração da glicemia e orientação sobre a aplicação das insulinas. O atendimento é feito por profissionais especializados (enfermeiras e nutricionistas) e a visita em domicílio dura aproximadamente uma hora, tempo mais do que suficiente para esclarecer todas as dúvidas. Ao aderir ao programa, que é gratuito e voltado para aqueles que utilizam as insulinas da Novo Nordisk, o paciente ganha o glicosímetro da Bayer, o Breeze.

Para saber mais:

www.programanovodia.com.br
0800 707 3551 e pelo e-mail atendimento@programanovodia.com.br.

Anad – www.anad.org.br

ADJ – www.adj.org.br

Gravidez e diabetes: faça um diário

diáriodiabeticoO nosso organismo se comporta de uma maneira totalmente diferente na gravidez. Parece até que o que você sabia antes sobre controle perde um pouco o valor, porque nada é como antes. Tudo fica mais sensível, inclusive a nossa reação, no caso de diabéticas, a ingestão alimentar.

Por isso, observação é tudo. Aconselho as futuras grávidas diabéticas a manterem um diário com dados das refeições e das medidas. Além de informações sobre atividade física. Conhecer o nosso organismo é melhor forma de controlar a doença. E, a cada dia, aprendemos um poquinho com ele, sobretudo o quão complexo ele é.

Aliás, este diário deveria começar uns meses antes da gravidez. Quem é tipo 1 normalmente já faz todo o controle e as anotações, mas as tipo 2 (ou MODY, como eu), não fazem todo esse controle. Quando muito, tiram uma glicemia de jejum por dia, e umas duas pós-alimentares na semana. Mas não, tem de fazer direitinho. Ir anotando tudo para saber como o seu organismo reage. Pelo menos, durante a gravidez, você terá mais dados e entenderá melhor o seu corpo.

Doce momento

Momento especial

Momento especial

Lá estávamos nós, eu e o  bebê, curtindo um momento especial. Momentos que fazem esquecer todo o resto, que fica pequinininho perto do que somos capazes: gerar um vida. O papai também está presente aqui, como fotógrafo. Isso é que é momento doce. E quanto a vocês, qual foi o momento mais doce de suas vidas?