Gravidez e diabetes: faça um diário


diáriodiabeticoO nosso organismo se comporta de uma maneira totalmente diferente na gravidez. Parece até que o que você sabia antes sobre controle perde um pouco o valor, porque nada é como antes. Tudo fica mais sensível, inclusive a nossa reação, no caso de diabéticas, a ingestão alimentar.

Por isso, observação é tudo. Aconselho as futuras grávidas diabéticas a manterem um diário com dados das refeições e das medidas. Além de informações sobre atividade física. Conhecer o nosso organismo é melhor forma de controlar a doença. E, a cada dia, aprendemos um poquinho com ele, sobretudo o quão complexo ele é.

Aliás, este diário deveria começar uns meses antes da gravidez. Quem é tipo 1 normalmente já faz todo o controle e as anotações, mas as tipo 2 (ou MODY, como eu), não fazem todo esse controle. Quando muito, tiram uma glicemia de jejum por dia, e umas duas pós-alimentares na semana. Mas não, tem de fazer direitinho. Ir anotando tudo para saber como o seu organismo reage. Pelo menos, durante a gravidez, você terá mais dados e entenderá melhor o seu corpo.

9 ideias sobre “Gravidez e diabetes: faça um diário

  1. roberta

    ola luciana ,sobre as anotacoes elas sao super importantes ja tenho tres caderninhos ( meus diarinhos alimentares desde o dia em que sai do hospital) neles contam as minhas glicemias horarios dosagens alimentacao e exercicios ,mantenho uma regrinha pra escrever ,depois fica facil a pesquisa ,com elas sei de reacoes a cada tipo de alimento ,a assim me ajuda nas proximas dosagens , hj por exemplo na hora do almoco estava 132 entao apliquei 4.5 de insulina mais depois de 1 hora e 50 minutos foi pra 56 ,tudo isso porque troquei o arroz branco pelo integral as mesmas 100gramas me deu essa diferenca amnha almocarei denovo arroz integral entao diminuirei minha dosagem pra ficar com uma glicemia boa .beijus
    ro

    Resposta
    1. Luciana Oncken Autor do post

      Puxa, você é muito disciplinada, Roberta. Parabéns! A gente vai fazendo estes ajustes. Eu nunca tomo mais de quatro insulinas rápidas, pq, como sou MODY (que é parecido com o tipo 2) ainda fabrico insulina, e o meu organismo acaba sendo mais sensivel à insulina.

      Resposta
  2. roberta

    oie entao eu ia perguntar o que era mody ,eu tb ainda fabrico insulina so que com um atraso ,isso segundo a minha medica e por enquanto ,com o passar do tempo as celulas que me restam morrerao,entao hj diminui meia dose no almoco e nao tive hipo a tarde ,mais tive uma antes do almoco ,entao a amanha diminuirei meia dose no cafe ,tb sou super sensivel a insulina tenho que tomar muito cuidado ,gostaria de saber como e sua alimentacao? aqui temos um esquema alimentar uma tabelona que divide o grupo alimantar as porcoes sao determinadas pela nutri de acordo com a necesssidade do paciente.gostaria de saber como funciona ai no brasil.aqui faco apenas tres refeicoes por dia.

    Resposta
  3. MARGARETE

    Nossa vocês são bem disciplinadas! é difícil, parabéns!
    Quando fiquei grávida só anotava os resultados da glicemia .
    Não contei a vocês: que só descobrir que estava grávida quando já estava no segundo mês , pois minha menstruação era irregular, descobrir numa consulta de rotina a minha ginecologista ela fez o teste no próprio consultório e para confirmar mandou fazer o teste em laboratório aí veio a confirmação. No início não tive nenhum sintoma. Aí começaram os vários exames e acompanhamento rigoroso ,quando entrei no sétimo mês as visitas ao médico passaram a ser semanalmente , minhas pernas incharam muito no sétimo e oitavo mês.
    E mais fui acompanhada pelo ginecologista e por um gastro ,pois onde moro não tem endocrino e no hospital vizinho na época também não tinha. Esse médico (gastro) me acompanhou direitinho como se fosse um endocrino ,ele foi mais do que um médico foi um amigo .
    Abraços

    Resposta
    1. Luciana Oncken Autor do post

      Eu não assim tão disciplinada. No começo da gravidez, estava mais. Levei uma bronca da médica por não estar praticando atividade física. Eu era a grávida diabética modelo, mas agora não sou mais (buá…). Fiz umas compras caprichadas, com as comidinhas que a nutri indicou. Vou me disciplinar novamente. A Roberta, sim, é super disciplinada.

      Resposta
  4. Fernanda

    Rô,
    A quanto tempo foi o seu diagnóstico? Eu já vi isso escrito por aí mas não me lembro.
    Lu, talvez fosse interessante você colocar uma notícia sobre a pesquisa com células tronco em Ribeira Preto, que aceita pacientes recém-diagnosticados (até 6 semanas) e utiliza células tronco do próprio paciente (autógenas).
    Selecionei dois sites que falam sobre a pesquisa:

    http://www.diabetenet.com.br/conteudocompleto.asp?idconteudo=2134
    http://oglobo.globo.com/ciencia/mat/2007/04/11/295325694.asp

    Bjinhos!

    Resposta
    1. Luciana Oncken Autor do post

      Oi, Fernanda! Logo nos primeiros posts, em 2006, tem essa informação. Descobri no segundo semestre de 2003. Aliás, sou diabética desde então, porque outros exames anteriores não haviam mostrado qualquer alteração glicêmica. Vai completar seis anos. Tinha 29 anos. Hoje, 35, recém-completados. Quanto à pesquisa, já a publiquei aqui no blog. Coloquei um post, hoje, sobre o twitter de um dos médicos responsáveis pelo estudo. Obrigada. Beijos.

      Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s