Histórias de vida de um diabético: um depoimento que me emocionou


São depoimentos assim que dão significado a minha vida, a este blog, dão sentindo até ao fato de “eu ter sido escolhida” para ter essa doença chamada diabetes. Acordei, ainda tristonha com muita coisa que vem acontecendo, e feliz por tantas outras, a maior delas, o filho que carrego na barriga e que logo estará nesse mundão, e me deparei com este lindo comentário da Camila Brandão. Comentário que merece destaque, porque tenho certeza que vai inspirar muita gente. Obrigada Camila, por fazer este dia cinzento mais colorido:

Já é tarde. Achei o seu blog procurando receita de picolé diet. As coisas que o Google faz por nós… Li tudinho que você escreveu. De cabo a rabo. E os comentários do pessoal também. E me fez bem.

Tenho diabetes tipo 1 há 14 anos. Hoje tenho 23. E estou passando por uma fase bem difícil da vida de um diabético. Me formei em arquitetura no ano passado e isso significou, em alguma instância, virar adulta de verdade. Passei os cinco anos da faculdade fingindo que meu diabetes não existia. Tomava minha insulina, mas não monitorava minha glicemia e muito menos minha alimentação (leia-se “começão” e “bebeção” excessivos). Por inúmeros motivos estava bastante deprimida, e ainda estou me esforçando bastante pra melhorar nesse aspecto, mas tenho em mente que o motivo principal dessa minha depressão era o meu descuido com o meu diabetes, a minha falta de compromisso comigo mesma e com os meus pais, que tanto querem o meu bem.

Depois de um episódio bastante desagradável levei um puxão de orelha “daqueles” dos meus pais. Marquei uma consulta com o meu endócrino para levar uns exames que tinha feito há uns três meses e levei puxão de orelha dele também. Sem questionar em nenhum momento o que eles todos me falaram, resolvi mudar de vida; resolvi mudar de posição em relação a ela. Resolvi que queria vivê-la da melhor maneira possível, e não só da maneira mais divertida. Porque a gente sabe que 8 picadinhas diárias no dedo e mais x aplicações de insulina por dia não são a coisa mais divertida do mundo. E nem contar quantos carboidratos tem em cada colher daquele macarrão que você tanto gosta. Mas a gente também sabe que isso tudo só faz bem pra nossa cabeça e pro nosso corpinho. Tanto que o que era pra ser uma chatice sem fim só está me deixando mais satisfeita comigo mesma, fazendo eu me sentir mais realizada e muito menos frustrada.

O caderno com as anotações de alimentação e monitoramento de glicemia já recebeu várias cores para cada coisa: hipo, hiper, meta, exercício, contagem de cho. A natação e caminhada são mais do que um simples exercício; viraram o tempinho do dia de colocar os pensamentos no lugar, organizar o dia seguinte, planejar a vida a curto e longo prazo. O que acaba melhorando aquela depressão chata. E acaba dando mais vontade de fazer todas essas coisas boas.

É claro que nem tudo são rosas. Ainda estou passando por várias provações, dificuldades…mas como você escreveu algum dia, não precisa pintar de cor-de-rosa, mas colocar uma lente colorida não faz mal nenhum. E o seu blog fez isso por mim. Me deixou de olhos verdes!!! Me fez ver que eu não sou a pior pessoa do mundo por dar uma escorregada de vez em quando, e que isso tem como consertar. Me mostrou que tem um monte de gente que passa pelas mesmas coisas e sente as mesmas coisas que eu. Me fez perceber que viver com diabetes pode e deve ser uma doçura só!!! Porque afinal de contas, é isso que nós diabéticos somos: pessoas com doçura de sobra!!! Desculpa ocupar tanto espaço no seu blog…até parece que ele é meu, com um texto desse tamanho…

Mas depois de ler tudo que foi escrito nestes dois anos e tanto eu fiquei inspirada!!!

Obrigada!!!

12 ideias sobre “Histórias de vida de um diabético: um depoimento que me emocionou

  1. Contamine-se e Espalhe

    Oie Luciana, o Banco de Saúde agradece o seu apoio ao movimento “Espalhe Uma Vida Melhor”. A participação de portais que se preocupam com o bem-estar de seus leitores é muito importante.
    Ajude-nos a divulgar o movimento também através de um post. Incentive outras pessoas a espalharem uma vida mais saudável.
    Lenbrando que o blog Viver com Diabetes já se encontra na página do movimento, juntamente com outros que buscam uma vida melhor.
    Um abraço, Luciana.

    Resposta
  2. Bruna

    Oi Luciana!
    Parabéns pelo blog, encontrei hoje pesquisando sobre sorvete diet. Bem parecido com o depoimento acima.
    Tenho 23 anos e descobri que tenho diabetes há uma semana e tudo está muito complicado ainda, fiquei bem triste com a notícia. Ainda é dificil aceitar as restrições. Estou seguindo a dieta, tomando o remédio e vou começar a academia…
    Me animei um pouco ao ler suas experiências e das outras pessoas. Deu um certo conforto. Ver que é possível ter uma vida normal, é isso que eu quero.
    Mais uma vez, parabéns pelo blog e adorei as dicas de sorvetes.

    Resposta
  3. roberta

    oie lu ,nao sumi nao ,passo aqui todos os dias dou uma olhadinha ,como aqui tudo muito corrido nem sempre da tempo de dar uma palavrinha .sobre os depoimentos ,nossa ajuda muito a gente nao se sentir sozinha ,nao se sentir como se fosse so comigo ne.
    beijus
    ro

    Resposta
  4. Margarete Godoy

    Oi pessoal ! Hoje fui salva pelo meu companheiro, que me acordou para minha sorte , pois eu estava dormindo e minha glicose caiu para 33 ,estava me sentindo fraca, com a vista escura, sem forças foi quando acordei sonolenta e disse a ele: estou fraca, aí ele resolveu fazer o teste em mim e lá estava a hipo, ingerir doce e ela voltou ao normal. Engraçado que na noite anterior antes de dormir fiz o teste e estava 257 e não tomei a de ação rápida , imagine se eu tivesse tomado.
    Minha glicose tem oscilado muito.
    Abraços

    Resposta
  5. Miriam Melo

    Oi pessoal,eu me chamo Miriam e tenho 17 anos,acabei de passar por uma experiência bem parecida com a de quem possui Diabetes,estou aqui porque gostaria muito de fazer parte dessa história junto com todos vcs que sabem como é ter Diabetes,eu já escrevi em um blog chamado SBD(Sociedade Brasileira de Diabetes),os donos do blog foram muito legais comigo,eu encontrei eles qd eu realmente precisava desabafar com alguém,infelizmente eles já não podem continuar com o blog,mas tudo que eu passei ali com eles são momentos e experiência que eu vou levar pra sempre…Mas eu sinto que eu não posso parar por aqui,eu costumo escrever textos de reflexão,poemas pessoais sobre tudo que eu passei,e de uma certa forma tento passar uma ajuda,e gostaria de continuar fazendo isso aqui,é muito importante pra mim.A maioria das coisas que eu sei sobre o Diabetes eu aprendi por uma pessoa que é muito especial pra mim Nick Jonas da banda Jonas Brothers,ele possui Diabetes,mas convive super bem com ela,e desde que eu conheci ele eu descobrir saber tudo sobre a doença,e ano passado eu tive uma crise de anemia profunda,os sintomas eram horriveis,e parecia muito com os do Diabetes,á todo tempo eu tive muito medo de ter a doença,mas com o Nick eu descobrir que se eu estivesse com a doença eu continuaria vivendo bem,eu fiz os exames e não era Diabetes,mas por conta que o processo todo até chegar no tratamento pro meu tipo de Anemia foram demorados ainda hoje eu tenho que tomar cuidado,eu tenho um organismo fraco,tenho de tomar vitaminas e não posso comer doce á vontade,pois posso passar mal,enjoôs,tontura,mal estar,enfim,tudo na minha vida é controlado,tive que abrir mão de várias coisas,mas pareçe que agora depois de quase morrer por conta da Anemia aguda eu vejo a vida com outros olhos,antes eu não me importava com nada nem ninguem,hoje eu tento aproveitar cada segundo da vida e ajudar á todos que precisam de uma palavra amiga,qd eu fiquei doente não havia ninguem comigo,o único motivo que me fez querer tentar seguir e aguentar firme foi o Nick,através das músicas e do coração dele,hoje ele criou uma instituição que ajuda crianças com Diabetes,eu não posso ainda,chegar á esse ponto,mas eu prometi que se eu me curasse eu ajudaria todas pessoas que precisassem de uma palavra de conforto como eu precisei,eu me curei,ás vezes ainda passo mal,mas já sei como agir,pela promessa que eu fiz eu tenho que continuar escrevendo meus textos,então eu pesso humildimente que me deixe digitar aqui tudo que eu penso e acredito sobre esse assunto,o Nick pode ser um astro da música mas eu o vejo muito mais que apenas um artisita,antes disso ele é um ser humano como todos nós,eu aprendi muito com ele,ele usa a fama dele pra ajudar as pessoas e eu aprendi que eu posso usar o meu dom de escrever pra ajudar tambem,pode ser pouco,mas eu só quero ajudar…Eu não vou quebrar a minha promessa,nem vou parar por aqui…Eu vou continuar seguindo e aguentando firme todos os dias…Aqui eu deixo meu e-mail se quiserem falar comigo:Mialovejb@hotmail.com—->>>Pode acreditar isso tudo é muito importante pra mim,meu orkut é:Jaque_fofas@hotmail.com—–>>>Muito Obrigada pela atenção,Eu posso ter só 17 anos,mas já passei por muitas coisas boas e ruins,mas sempre procuro ver o lado positivo dos problemas,eu só sou isso hoje porque eu passei por situações difíceis no passado,,,Seja qual for o problema e a situação aguente firme sempre,no final tudo acaba bem!!!Bjsss,Miriam♥

    Resposta
  6. Fernanda

    Miriam,
    Investigue melhor. Se você não está mais com anemia e ainda sente os mesmos sintomas e se sente mal quando come doce você pode ter uma doença chamada “Hipoglicemia”. No orkut tem uma comunidade sobre eles. Eles tem hipoglicemia mas não são diabéticos. Não devem comer doce porque sentem os sintomas mais frequentemente. Eu estou nessa comunidade, se quiser meu orkut é Fernanda Laranjeira.
    Vamos conversar.
    Bjo
    fernanda.laranjeira@hotmail.com

    Resposta
  7. Miriam Melo

    Valew,eu voltei ao médico e ele me disse que eu ainda posso sentir isso pq meu organismo passou muito tempo sem vitaminas,já estou tomando capsúlas gelatinosas,e estou muito bem,muito obrigada,vou procurar no orkut sim,bju♥

    Resposta
  8. AUGUSTO FERNANDES

    Olá boa tarde!

    Tenho diabetes há 2 anos e 2 meses exatamente, até então tomava somente medicação mas passei a tomar insulina à partir de maio/2010. Terminei a faculdade ano passado tinha uma vida muita agitada, mas enfim com a insulina eu voltei a ganhar peso, mas ainda não consigo fazer a dieta rigorosamente acredito que ainda não assumi de verdade que tenho sempre achei que seria emocional com a perda do meu pai meses depois apareceu em mim, quando começo a perder peso é aí que cai a ficha, ontem fui a uma unidade de saúde a qual conheço uma enfermeira quando a mesma me viu notou logo que eu não estava bem me achou mais magro e abatido, até puxou me orelha como dizem por aí tipo : quer eu fale a verdade para você se não se cuidar vai se deprimir. penso que que a mesma queria falar sobre o que já sabemos como perda de visão, ficar mutilado e de comprometer outros orgãos, eu sei que as pessoas se preocupam conosco eu até fico grato mas só nós sabemos o quanto é difícil, aí também há uma questão financeira muito grande. Mas este ano de 2011 não tenho mais muitas despesas e prometi para mim mesmo que irei fazer caminhadas e um dieta. Minha mãe ainda se assusta muito quando falamos desta diabetes até parecem que assinam nossa setença de morte mas eu sei que não é bem assim. Se alguém puder me escrever podemos compartilhar nossas experiências e desde já agradeço atenção de todos.

    Resposta
  9. Izis

    Olá. Lendo esse post e os comentários, concluo que nós, diabéticos, definitivamente somos pessoas especiais. Por que o diabetes não é uma doença, mas um estado patológico. Imagina que quando estamos com a glicemia controlada não somos diabéticos, Mas quando temos hiperglicemia sim, somos diabéticos. Sabemos que é dificil controlar a glicemia por que é difícil controlarmos a iniciativa/vontade de comer carboidratos. No fundo, o diabetes é uma doença de auto-controle. E é complicado ter e manter auto-controle constantemente, numa era como a que vivemos. As preocupações que nos rondam a cada hemoglucoteste, traduzidas em pensamentos de todos os piores tipos, como todas as complicações que eventualmente teremos no futuro. E quanto mais nos informamos, mais preocupações surgem, sempre que medimos a glicose e ela esta elevada, seja por um escorregão (começão e bebeção, como no post), seja pela ação nosso conhecido companheiro glucagon. Então, por tudo isso e muito mais que somos, fazemos e realizamos em nossas vidas somos sim, pessoas especiais. Como os atletas nas olimpíadas que tem de dar tudo de si para conquistar uma medalha (até que nesse período olímpico estou inspirada!). A diferença, a sutil diferença, é que nosso jogo/partida/prova é diária, a cada refeição. E no fim de um dia de bom controle, ou bom auto-controle, podemos nos sentir campeões, de certa forma. Por que a sensação é essa, de vitória, superação.
    Gosto de ler esses depoimentos mesmo sabendo que são de pessoas desconhecidas, pois criando esses tipos de “redes”, aprendemos mais, nos envolvemos, nos incentivamos e nos apoiamos. Por hoje é isso que estava com vontade de dizer. Abraços!!

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s