Diabetes, gravidez, filho, trabalho…


Estou devendo um post já faz um bom tempo, mas tenho acompanhado e lido e respondido todos os comentários, que fazem este blog se movimentar.

Passei por alguns momentos de apreensão. Minha licença-maternidade de 120 dias terminou dia 17 de dezembro. Fiz uma campanha junto ao RH e ao presidente da instituição que eu trabalhava para adotar os 180 dias, já que eles são uma entidade médica e achava que eles deveriam dar o exemplo, ainda mais por se tratar de um movimento encabeçado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). O que eu consegui foram dois períodos de 15 dias para aleitamento. Um, antes das férias. Outro, depois. Assim, fiquei com cinco meses, mais as férias em janeiro, consegui completar os seis de aleitamento.

Estava, desde o final de janeiro, apreensiva com o retorno. Várias coisas me afligiam. Claro, deixar o Lucas era a principal, mas tinha a consciência de que, com o tempo, me acostumaria, ainda mais porque eu tinha um horário flexível e amo o que faço. Estava apreensiva por tudo o que passei desde o terceiro mês de gravidez, no trabalho, mas que não quis postar aqui. Estava com receio de que tudo se repetisse na minha volta. Prefiro não entrar em detalhes. O fato é que eu fui dispensada no meu retorno.

Estou em casa, com o Lucas, curtindo meu filhote, investindo em projetos pessoais e profissionais. E este blog é com certeza um dos meus projetos de vida. Espero poder me dedicar cada vez mais a ele e a outros projetos bacanas que venham a surgir. Que venham! Estou com garra!

24 ideias sobre “Diabetes, gravidez, filho, trabalho…

  1. Liana

    Oi Lu.
    Espero que você esteja bem.
    Sabe, mulheres, trabalhadoras e mães são especiais, pois essa jornada não é fácil, mas vale a pena.
    Quando fiquei grávida pela primeira vez, eu estava desempregada, então fiquei assim durante toda a gestação, porque, é claro, ninguém dá emprego para uma mulher grávida! Depois do que aconteceu com o meu primeiro filho eu sabia que iria querer engravidar novamente, mas tinha muito medo de procurar um emprego e não consiguir cuidar da minha glicemia de forma adequada. Nesse período fiz um trabalho de recrutamento e seleção para uma empresa, passava o dia todo em dinâmicas de grupo e mal conseguia fazer meu controle da diabetes (era difícil ter intervalos para os testes de glicemia e para comer), consequentemente minha glicada aumentou. Demorou para eu conseguir o controle e poder engravidar de novo. Então, minha vida profissional está meio de lado, meu projeto agora é meu bebê (já estou de 11 semanas). Hoje só estou fazendo mestrado, que eu adoro, mas não recebo nada por isso, então o financeiro me deixa preocupada…Sempre fico pensando que se estivesse trabalhando e tivesse que fazer todas as consultas e exames necessários para a gestante diabética, a empresa com certeza me dispensaria assim que a estabilidade acabasse. Triste né??!
    “Deus escreve certo por linhas tortas”, logo você conseguirá todas as suas realizações (profissionais e pessoais).
    Beijos
    Liana.

    Resposta
    1. Luciana Oncken Autor do post

      Liana, que bom que está indo tudo bem com vcs! Eu estou ótima, sentido-me livre! Foram 11 anos de trabalho e tenho orgulho do trabalho que desenvolvi e do nome que fiz no jornalismo na área de saúde, tornando a publicação e o departamento que eu comandava em uma referência. Depois, te conto melhor por e-mail. Estou bem animada com o presente e sei que o futuro me reserva coisas melhores, maiores, mais desafiadoras ainda. Encontrei bons diretores durante este período. Saio com um bom saldo de amigos e com muitas conquistas. Assinei mais de 120 publicações nesses 11 anos. Fiz matérias dos mais diversos assuntos. Apesar de estar 11 anos na mesma empresa, 9 como coordenadora e editora, nunca me acomodei, sempre busquei novos desafios, criei novos produtos, apostei em novas formas de comunicação. Identifico-me muito com a seguinte frase de Marcel Proust: “A grande conquista não está em encontrar novas terras, mas em ver as mesmas terras com bovos olhos.” Olhei as mesmas “terras” sempre com novos olhos. Explorei muito essa “terra”. Chegou o momento de descobrir novas terras para poder explorá-las de diversas outras maneiras. Obrigada pelo apoio! Ah! Você faz mestrado em que? Beijos.

      Resposta
      1. Liana

        Lu, sou formada em psicologia e faço mestrado em Engenharia de Produção, na Universidade Federal de São Carlos, todo mundo acha estranho!! É uma pesquisa na área de organização do trabalho e práticas de RH, pois sempre atuei na área de Rh.
        Minha irmã é jornalista e faz doutorado na Unicamp.
        Se precisar de alguma coisa me avise.
        Bjos

  2. Renata

    Luciana, boa tarde, já me apresentei, mas falei pouco a meu respeito, eu sou psicologa e trabalho em rh, caso precise de alguma dica, ou ajuda, e eu puder ser util, vc tem acesso ao meu email, é só me escrever. boa sorte

    Resposta
  3. Margarete Godoy

    Oi Luciana, Deus escreve certo por linhas tortas, Tenho certeza que Ele tem algo melhor pra você! Nada acontece por acaso.
    veja por esse lado: Que bom que você está curtindo seu filhote! Com certeza surgirão coisas boas pra você, pois merece. Com sua força e garra vai longe.
    Deus te abençõe! Boa sorte!
    Beijos

    Resposta
  4. Manoel

    Olá Luciana,

    Parabéns pela sua alegria.

    Descobri há cinco dias que a minha filha de 1 anos e 7 meses tem diabetes tipo 1. Tem sido dias difíceis.
    Espero que Deus me dê forças para criá-la e que ela possa chegar à vida adulta resolvida assim como você.

    Parabéns

    Manoel

    Resposta
    1. Luciana Oncken Autor do post

      Manoel, agora que tenho um filhote, posso imaginar o que vc está passando. O Lucas não tem diabetes, espero que nunca tenha, mas… Procure conversar com outros pais na mesma situação. A ADJ – Associação de Diabetes Juvenil (ww.adj.org.br) é um bom local para você conseguir apoio nesse momento. E eles têm várias atividades para jovens e crianças diabéticas. Sei que não é fácil. Beijos.

      Resposta
  5. Joseane

    Bom dia, Lu. Como sempre digo, o melhor de tudo é bancar a Pollyana e tentar ver o lado bom das coisas. O lado bom desse fato é que vc. vai poder curtir o Lucas um pouco mais. É ótimo trabalharmos, mas isso realmente nos tolhe o que há de melhor na maternidade: ver de perto o crescimento e o desenvolvimento dos filhos. Falo por experiencia própria: não consegui acompanhar meu filho como gostaria, e hoje, a verdadeira mãe dele é a minha mãe, que é a pessoa que cuida dele desde o dia em que nasceu, uma vez que eu, como autônoma, nunca pude deixar de trabalhar para ficar mais perto dele. Então minha amiga, aproveita esse momento, afinal agora é o melhor que vc. pode ter. Logo vc. estará com um novo desafio e a tristeza e o sentimento de impotência passarão. Beijo e muita força. Se precisar de um ouvido amigo, é só chamar.

    Resposta
  6. roberta

    olha LU eu acredito que tudo nessa vida tem um significado ,acredito que so o fato de que vc possa de decicar ao seu filhotinho ja vale a pena .te desejo tudo de bom ,e sempre da pra recomecar viu .
    bjim
    hj estou super mal jejum 382 ,muita vontade de vomitar ,me sentindo pessima ,fiz um dejejum leve ,apliquei 7 u e duas horas depois 432 ,cloquei esse numero na bomba e ele me deu a informacao que eu precisava de uma correcao de 4.4u,mais tinha ainda 4u de uinsulina ativa e me deixou aplicar somente 0.4u,aumentei minha basal das 7 horas da manha ate as 15:00 pra o.4u,vou medir daqui duas horas ,vamos ver no que da ne.
    bjim

    Resposta
    1. Luciana Oncken Autor do post

      Meninas, apesar de gostar muito do meu trabalho, estou curtindo muito ser mãe em período integral. Aliás, estou amando. Sempre sonhei em fazer isso durante um tempo quando me tornasse mãe. Trabalhando de casa, fazendo freela, dando consultoria, escrevendo, já que a minha profissão permite isso. Sempre tive o sonho de poder me dedicar ao máximo ao meu filhote. Sei o quanto essa convivência é importante nos primeiros anos de vida. Quero, sim, voltar ao mercado, e se receber uma proposta bacana vou estudar, claro. Mas no momento estou me sentindo livre, feliz, em PAZ.

      Na verdade, o que me deixou triste foi a forma como as coisas aconteceram, ainda durante a gravidez, por um cara que entrou para ser meu chefe. O cara nem funcionário da empresa era (é consultor) e tinha carta branca para mudar toda a minha equipe, que, aos poucos, foi sendo dispensada sem que eu ao menos ficasse sabendo antes. Chegava no dia, cinco minutos antes, e o cara avisava que ia detonar alguém da equipe. Pessoas super competentes. A única desculpa é que a pessoa não tinha o perfil que ele queria. Só que ele nunca disse qual era esse perfil, o que ele esperava, o que queria. Foi triste ver tudo o que construí ir por água abaixo. E ele foi colocando pessoas dele lá, pessoas do tipo que não questionam nada, fazem o que mandam, e só Passei a não ser chamada para reuniões de chefia, sendo que eu era a coordenadora do departamento. O cara concorria comigo, apresentando-se também como coordenador. Fora os milhares de e-mails que ele mandava pedindo coisas e sempre exigia resposta. Na minha caixa postal, em um mês, eu tinha 600 mensagens dele. O difícil era trabalhar e responder todos os e-mails ao mesmo tempo. O que ele mais queria era se livrar de mim, mas devido a gravidez, teve de me engolir cinco meses (quando ele entrou, eu estava no terceiro mês). E o Lucas nasceu prematuro, lembram? Pudera, né? Essa foi a parte dura, ainda mais depois de 10 anos de trabalho. Fui muito desrespeitada. Para trabalhar desta forma, é melhor não trabalhar. Por isso, senti-me tão aliviada!

      Sei que a vida me reserva novos desafios no campo profissional. Projetos, idéias e vontade de trabalhar não me faltam. Agradeço o apoio de vocês.

      Beijinhos.

      Resposta
    2. Margarete Godoy

      Oi Roberta espero que esteje melhor.
      Você tem feito exames? tipo hemograma, eas, etc. Precisa investigar o que está acontecendo, pois tudo interfere na glicemia, estresses e até um dente. Fale com seu endocrino.
      Beijos
      Se cuide!

      Resposta
  7. Margarete Godoy

    Oi Luciana, infelizmente tem pessoas que são assim, que não respeitam as outras, imagino o nervoso que você passou com essa situação no trabalho. Mas acredito que tudo nessa vida tem um retorno, o que não fazemos, Deus faz!
    Que perfil será que ele queria?
    Bom bola pra frente, que com certeza irá acontecer mais coisas boas em sua vida, acredite em você, no seu potencial. BOA SORTE!
    Beijos

    Resposta
      1. Margarete Godoy

        Oi Luciana minha netinha vai bem, graças a Deus. Ela fez alguns exames, e tá tudo bem, tá linda! ficando esperta, a pediatra elogiou disse que está tudo em ordem, tomou vacina essa semana. Ela se adaptou melhor agora ao nestogeno 1. Adora um colo.
        E o Lucas como está?
        Beijos

      2. Luciana Oncken Autor do post

        Que bom, Margarete! O Lucas está ótimo e é um bom garfo, viu? Tudo que eu dou pra ele experimentar, ele traça! E continua no peito tb! Beijo.

  8. Fernanda

    Oi, Lu.
    Não se preocupe. Concordo com você que essa é só mais uma oportunidade para você ter novos desafios e conquistas, mesmo que seja em outras áreas, com certeza! Trabalho no Ministério da Saúde e temos aqui uma área de “Gestão do Conhecimento” em Ciência e Tecnologia, que trata da disseminação dos resultados de pesquisa para o público. Essa ainda é uma área muito carente de pessoal qualificado. Eles estão com algumas vagas abertas, mas para Brasília. Vou te mandar por email depois o perfil das áreas. Quem sabe com toda a tua qualificação e experiência eles aceitam você à distância? Eu não pensaria duas vezes…

    Rô,
    A Margarete tem razão. Muitas coisas podem estar acontecendo… Primeiro, troque tudo da bomba, catéter, reservatório, insulina, cânula… TUDO! Tenha calma, o estresse só piora as taxas (é fácil falar, né, também odeio híperes!). Depois, se mesmo assim não melhorar, quando você quiser corrigir e a bomba não deixar dizendo que tem insulina ativa, ignore. Você sabe que pode manipular as doses como quiser. Dê um bolus maior do que o proposto e observe fazendo as glicemias. Uma hipo é mais fácil de resolver que uma híper. Eu sempre faço isso, principalmente agora na gravidez, estou com uma resistência enorme! Ah, e você pode modificar também a sua sensibilidade, que é a quantidade de insulina necessária para correção. Fale com a sua médica, pode ser esse o problema.
    Espero que você melhore.
    Bjo

    Resposta
  9. sandra

    oi lú,gostei muito de conhecer sua história pois parte dela parecia a minha rsrs estou gravida de 11 semanas e estou meio aflita pq não estou conseguindo controlar minha glicemia infelismente estou sendo acompanhada pelo sus e não é a mesma coisa né de se ter medicos a nossa disposição. mas gostei muitode te conhecer e torcer para que tudo desse certo pra vc em sua gestação “ja deu né”graças a Deus.parabens pelo lucas e muitas felicidades.bj fik com Deus

    Resposta
  10. sonia

    tb sou diabetica,e estou a 1 ano tentando engravidar td mes e uma ansiedade ,quando a mestru chega da uma tristeza e a sensaçao de inpotencia e uma tristeza so mascom fe em deus minha hora de ficar gravida vai chegar

    Resposta
    1. Luciana Oncken Autor do post

      Oi, Marcelo! Ah! Eu quero voltar a escrever… Queria escrever um livro infantil com o tema Pavão. Daria para fazer cada ilustração! É que o Lucas adora Pavão. Pode? E arara azul também… Rascunhei algumas coisas. O que acha? beijos.

      Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s