Arquivo mensal: março 2010

A Páscoa está aí!

A Páscoa chegou! Para mim, foi um dos eventos que mais mudou depois do diabetes. Nada de ganhar um monte de ovos de Páscoa. Nada de me esbaldar no chocolate. Mas, quer saber, tem lá suas vantagens. Quais?

Eu não preciso reclamar dos quilinhos a mais na semana que se segue à Páscoa, por exemplo. Passei, também, a curtir mais o significado do evento do que o lado comercial. Pra mim, Páscoa é tempo mesmo de renascer, de renovação. É tempo de pensar nisso. Temos sempre de nos reinventar. Acho que ao me tornar diabética, tive de fazer isso. E faço isso dia após dia.

Para quem não dispensa o chocolate, hoje temos tantas, mas tantas opções. A Folha OnLine do dia 28/03 trouxe uma matéria com as principais marcas.

Na reportagem, são citados a seguintes (acrescento os meus comentários):

Brasil Cacau – não conheço

Gold Nutrition – o chocolate de tablete é muito bom, o ovo deve ser também

Cristallo adoro os doces da Cristallo, o ovo deve ter a mesma qualidade, mas o precinhos são meio salgados

Garoto – o Talento tem o selo da Anad e é um dos poucos que tem algo além do chocolate, como avelãs. Uma delícia!

Nestlé – dispensa comentários, mas a novidade é o meio amargo. O tabelte é muito, muito bom!

Village não tem ovo diet, mas tem a colomba, que também tem 0% de lactose. É um poquinho seca, mas boa!

Minhas sugestões:

Pan – tem uma linha de chocolates diet. Tem também ovos diet ao leite e diet com avelã.

Day by Diet – uma vez, ganhei uma cesta de uma funcionária minha. Adorei! Tem ovo!

Cacau Show – as lojas estão espalhadas por várias regiões. Tem várias opções diet de bombons e tabletes.

E você? Qual sua dica para a Páscoa?

Completando…

Havia me esquecido da tradicionalíssima Kopenhagen. Sabe que eu não sou muito fã do diet deles? Acho meio salgado… Tem um que é light e diet que acho melhor.

Tem uma chocolateria no bairro de Higienópolis, aqui em São Paulo, chamada ChocoLab, que tem uns chocolatinhos diet muito bons.

Ah! Acabei de ver que a Ofner lançou o Ovo Zero, sem adição de açúcares, que têm o selo da Anad. Amo os doces diet deles. O ovo deve ser bom também, imagino. E os recheios são variados: chocolate diet, avelã, caju e nozes.

Para quem está a fim de dar um presente especial, investir mais, a Chocolate du Jour tem o Cofrinho do Coelho – Diet.

O que é pré-diabetes?

Muita gente entra aqui com esta dúvida. Acho que a resposta da Associação Americana de Diabetes é bem esclarecedora. Vejam:

O termo pré-diabetes, assim como sugere, identifica aqueles indivíduos com risco potencial de desenvolvimento do diabetes. É uma condição intermediária entre a normalidade e o diabetes tipo 2, do adulto. Nem todos os indivíduos com pré-diabetes evoluirão para diabetes, mas são considerados de risco para essa progressão.

Como identificar um pré-diabético?

A definição laboratorial de pré-diabetes se dá quando a taxa de glicemia de jejum (mínimo de oito horas) encontra-se entre 100 e 125 mg/dl e/ou quando o valor de glicemia na segunda hora do teste de sobrecarga oral a glicose (também chamado de curva glicêmica) está entre 140 e 199 mg/dl (indivíduos classificados também como intolerantes à glicose).

Melhores escolhas

Em 2007, num passado não muito distante, participei de um concurso de frases na academia. Funcionava assim: você indicava um amigo para fazer o plano e respondia uma frase. Caso eu ganhasse, tanto eu quanto a minha amiga ganhávamos um laptop. Nunca havia ganhado nada em concursos, a maioria de sorteio, e nunca acreditei muito nesses concursos culturais. Surpresa! Ganhamos!

A pergunta era a seguinte:

– Pra que servem os amigos?

A qual eu respondi:

– Para incentivar as melhores escolhas.

E é isso que eu tento fazer neste blog. Tento passar para vocês a minha experiência. Tento replicar para outras pessoas uma forma de ver o diabetes. Cada um, tem a sua. Já escrevi muito sobre isso, aqui. Espero que vocês se sintam sempre motivados a fazerem as melhores escolhas para um futuro sem complicações.

Um ótimo dia, cheio de boas escolhas!

Bom para o ego

Deixa eu contar uma coisa divertida pra vocês. Ontem à noite, bem tarde mesmo, resolvi procurar algumas agências que contratam pessoas comuns para fazer propaganda. Encontrei duas bacanas e mandei fotos. Super desencanada, sabe? Hoje, de manhã, a surpresa. Abro meu e-mail e uma delas me retornou, chamando-me para um seleção. Pode? Tô me achando… ahahahaha… Pode não dar em nada, mas é bom para o ego. Depois, eu conto como foi.

Doçuras da vida

Meu docinho dorme, neste instante, em meus braços. Pra que açúcar, se tenho tanta doçura em minha vida?
É possível ser doce e manter as taxas glicêmicas sob controle, aliás, talvez, este seja um caminho para manter o equilíbrio: aceitar, enxergar o lado doce da vida!
E toda essa doçura tem vindo da convivência com o Lucas, meu bebê amado. Estar com ele o tempo todo, poder acompanhar o seu desenvolvimento de pertinho é o melhor presente do
mundo.
Com ou sem diabetes, e apesar dos obstáculos, a vida pode, sim, ser muito doce!

Lua de mel com o diabetes

Estou em lua de mel (ops, mel não pode!) com o diabetes. É estranho porque sei que uma hora essa mamata vai acabar. Hoje, meu jejum estava 93. Estou curiosa para ver a minha glicada. Sem tomar remédio ou insulina por conta do aleitamento, sinto-me quase uma pessoa normal. Mas tem uma sensação que não passa, mesmo nessa lua de mel, eu sei que sou diabética, e que não posso me esquecer disso.

Às vezes, nos pegamos querendo nos enganar. Fingindo que o problema não nos atinge, que não é com a gente. Tem quem ignore totalmente o fato de ser diabético e de precisar se cuidar (não é o meu caso, estou sem medicação por orientação médica e fazendo os devidos controles). Parece aquele casal que sai numa segunda lua de mel tentando salvar o casamento, mas eles sabem que há um problema muito maior, e que viagem alguma pode resolver. O problema é crônico e só se resolve com muita compreensão, com muita conversa, buscando entender o outro e, claro, com muito amor.

Pois assim é com o diabetes. Passamos por momentos tranquilos, como o que estou agora, mas temos sempre de encarar o problema de frente. E encarar o problema de frente é buscar compreender a doença, conversar sobre ela, buscar entender o seu funcionamento e ter muito amor pela vida para querer preservá-la lá na frente. No nosso caso, não temos como pedir o divórcio. Precisamos nos acertar com o diabetes o quanto antes e seguir em frente.

E você? Como mantém esse “casamento”?

Dia pacato

Hoje o dia está pacato. Parece até que só existimos, nesse exato momento, eu, o Lucas e a Neuva (que trabalha aqui em casa). O mundo parece estar parado. Um sol forte lá fora. Aqui dentro de casa, até que está suportável. Isso é uma viagem, mas parece que o mundo lá fora deixou de existir. Vocês já se sentiram assim? Uma Paz…

Sai quase todos os dias da semana. Hoje, vou ficar assim, sossegadinha em casa, curtindo o lado mais doce da minha vida: ser mãe!

Até as palavras estão longe, pessoal! Vou descansar…

Beijos e um final de semana incrível para vocês!