Arquivo mensal: abril 2010

Alex tem um filho de 11 anos, diabético há dois e quer informações sobre bomba de insulina

O Alex deixou um comentário. Ele compartilha sua preocupação com o filho de 11 anos, diabético desde os 9. Até o momento, o garoto estava na chamada lua-de-mel. O pai gostaria que ele usasse bomba de insulina, para ter  melhor qualidade de vida. Ele pergunta qual é o custo da bomba de infusão de insulina e como funciona.

Quanto ao custo, não tenho como responder, mas é importante lembrar, Alex, que para o uso do aparelho é preciso indicação médica. Quanto ao funcionamento, temos várias pessoas que visitam aqui o blog que fazem uso da bomba de infusão e poderiam falar um pouco sobre isso nos comentários.

Tem algumas mães de crianças diabéticas que mantém blogs compartilhando suas experiências:

Vale a pena também conferir o site da Associação de Diabetes Juvenil.

E continue passando por aqui, Alex!

Blog do Marcelo, eu recomendo! Ilustrações, diabetes, papos-furados etc.

Estou para escrever este post há um tempão. Lembro da primeira vez que recebi uma mensagem do Marcelo. Ele estava no hospital, internado por causa do diabetes. Ele se dizia novo nessa vida de diabético controlado. Isso foi no final do ano passado.

O Marcelo acabou criando um blog, o Blog do Dia-a-Diabético. Sua proposta é bem original. Ele não fala só do diabetes, mas da vida. Às vezes, num tom debochado. Outras, um pouco revoltado. Quase sempre, há uma tirada de bom-humor, ou mau-humor dos bons… risos… Não raro, ele tira barato dele mesmo. Não é bom isso? O texto é bem escrito, mas melhor ainda são as suas ilustrações. O cara é fera! E isso que faz seu blog único.

Como ele mesmo se descreve, “ilustrador desde sempre, diabético dependente há poucos e vegetariano há 32”. Marcelo ama o mar, o surf e um bom papo furado!

Vale a pena conferir: Blog do Dia-Diabético

Uma carta para Vittoria

Maria Vittoria, a Vivi, tem seis anos. Ela tem diabetes tipo 1 há dois anos. Sua mãe, Nicole, de quem eu já falei por aqui, criou um blog para compartilhar com outras mães o cotidiano da família, que conta também com a pequena Maria Eduarda, a Duda. A cada dia, Vivi nos surpreende com a sua maturidade. E nos ensina com sua inocência. E nos conquista com a sua desenvoltura. Resolvi escrever uma cartinha para ela:

Olá, Vivi!
Meu nome é Luciana. Como você, sou diabética e leonina. Tenho um bebê de oito meses que faz aniversário no memo dia que você: 19 de agosto! Que dia lindo!
Conheço você pelo blog. Sempre acompanho as suas histórias.
Diferente de você, não era diabética quando criança. Fiquei mais velha, quando tinha 29 anos. Hoje tenho 35. Minha mãe é diabética também. E tenho um irmão que também é. Nosso tipo de diabetes é diferente. Você é tipo 1. Eu sou tipo 2. Mas somos igualmente “mais docinhas”.
Assim como você, eu também tenho um blog onde conto a minha história. Assim como você, já apareci na televisão por causa disso. E também em jornais e revistas.
O que tenho aprendido com isso é que de tudo dá para tirar o lado positivo. O lado bom de ser diabética e falar sobre isso numa boa é poder ajudar outras pessoas e ser ajudada por elas. É uma troca.
Tudo bem que eu preferia não ter diabetes, mas, por algum motivo, vim a este mundo como diabética. E tornei-me conhecida por isso. Não sabia que isso aconteceria quando criei o blog. O retorno que ele me traz é fantástico. Por diversas vezes, fiquei emocionada com os depoimentos e comentários que as pessoas deixam. Percebi que o que estava fazendo, ao contar a minha história, não era só para mim.
Ao contar a sua história, você toca o coração e a alma de diversas outras pessoas como você, como eu. Você, Vittoria, não tenha dúvida, é uma menina pra lá de especial.
Beijinhos,
Lu.

?

Dei uma sumida nas últimas semanas. Tive alguns motivos. Um deles é que estava fazendo um curso de fotografia. Quando me inscrevi, pensei que fosse somente às segundas-feiras, durante dois meses. Engano total. O curso era de sete dias, de segunda de uma semana a terça da semana seguinte. E não é perto de casa. Tive de dar um jeito. Dormi na casa da minha mãe a semana inteira. Assim, pude ter várias babonas e babões (meus irmãos e minhas irmãs, somos em cinco!) para cuidar do Lucas. Aí, fiquei meio off-line.
Quando dava um tempinho, não conseguia escrever. Sei lá… acho que estou em crise. As palavras simplesmente não saíam.
Felizmente, tenho vocês, que me ajudam a manter o blog atualizado por meio dos comentários.
Mas voltarei, em breve, e com novidades. Obrigada!

Informação é coisa séria! Blogs têm de ser responsáveis.

Lembra outro dia, que publiquei um post falando sobre os novos blogs que têm surgido? Tenho mesmo presenciado um boom, e acho interessante quando a proposta é diferente, criativa, mas, acima de tudo, quando traz informação séria.

Este “velhinho”, aqui, o Viver com Diabetes, que este ano completa quatro anos, fica muito feliz quando nasce um novo blog. Mas fica triste quando vê um “colega” trazendo informações equivocadas. Estou me referindo a um blog surgiu ontem, mas não vou colocar o link por enquanto. Tenho esperanças que as informações sejam corrigidas, para só então divulgá-lo.

Nós, blogueiros, temos de ser responsáveis ao passar uma informações, principalmente se for uma informação técnica. O melhor é buscarmos fontes seguras, como sites de associações e sociedades médicas. Ou, então, fazer como a Nicole, do Minha Filha Diabética. Achei bem bacana, e até já quis fazer isso por aqui, mas faltou tempo, que foi convidar especialistas para falar sobre o tema. Isso é serviço! Parabéns, Nicole. É isso que uma mídia social deve fazer.

Tenho sempre o cuidado de não responder dúvidas técnicas, oriento sempre a pessoa a buscar um profissional. Quando coloco informações mais técnicas, procuro indicar a fonte. São cuidados básicos para a nossa credibilidade.