Criança e Obesidade: duas palavras que não combinam


Imagem

Criança combina com correr, brincar, gastar energia. Criança combina com parque, com praia, com piscina, com clube. Criança combina com brincadeira de rua, com praça, com alegria. Você não acha? Mas cada vez mais vemos crianças vítimas do sedentarismo, da falta de atividade física e da alimentação nada saudável. Criança gordinha não é bonitinho, é sinal de perigo. Criança, infelizmente, também pode ter diabetes tipo 2, também pode ter pressão alta, colesterol. Já imaginou? Por isso, obesidade não combina de forma alguma com criança.

No Brasil, segundo dados do IBGE, uma a cada três crianças estão acima do peso. Se antes o maior problema era a desnutrição, a obesidade já a ultrapassou há alguns anos. Nos últimos 20 anos, a obesidade infantil, considerando a idade entre 5 a 9 anos saltou de 4,1% para 16,6% entre os meninos, e de 2,4% para 11,8% entre as meninas. Entre adolescentes, o excesso de peso passou de 3,7% para 21,7% nos últimos quarenta anos.

O Ministério da Saúde lançou o uma campanha contra a Obesiddade Infantil dentro do programa da Semana de Mobilização Saúde na Escola 2013. “Se a gente construir uma geração de crianças e adolescentes que gostam de fazer atividade física, se alimentar direito, aprendem o que é alimentação, vamos ter uma geração de adultos mais saudáveis com menor risco de chegar a geração de obesos”, disse Padilha durante o lançamento do programa, em uma escola na Vila Planalto, no Distrito Federal.

O trabalho proposto consiste em levar as equipes de Saúde da Família para dentro das escolas, para que as crianças sejam orientadas quanto a hábitos de vida saudáveis, que incluem o incentivo à prática esportiva e alimentação saudável.

Na minha visão, precisamos de campanhas ousadas e uma intervenção maior do governo para que os municípios adotem uma merenda escolar equilibrada e saudável nas escolas, assim como trabalhem programas de incentivo ao esporte mais agressivos. Afinal, não podemos aceitar que mais de 20% dos adolescentes estejam acima do peso. Se assim continuar, ao contrário do que o ministro diz, teremos, sim, uma geração de obesos, com reflexos graves na saúde dessas crianças, e para os cofres públicos também.

3 ideias sobre “Criança e Obesidade: duas palavras que não combinam

  1. Pingback: Criança e Obesidade: duas palavras que não combinam | Nossa vida de cada dia...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s