Arquivo mensal: julho 2014

Pequeno notável

Lembro de quando vi pela primeira vez, em uma viagem ao exterior, há pouco mais de cinco anos, o monitor de glicose IBG*Star. Foi paixão à primeira vista. Estava grávida do meu filho. Automonitoramento era palavra de ordem para uma gravidez equilibrada. Achei prático pela possibilidade de poder acoplar no meu celular e ter ali todos os dados que precisava para o meu controle e para os relatórios com a minha médica. Mas declinei em comprar porque sabia que não encontraria as fitas no Brasil.

Mas não deixei de pensar em como seria bacana ter um monitor como o iBG*Star, até que ele chegou ao Brasil e pude conferir seu lançamento no mês passado. Ele tem muito mais funções do que eu imaginava e permite um controle muito bom, por meio do aplicativo que você instala em seu iPhone.

O grande diferencial dos dois aparelhos da Sanofi, disponíveis no mercado, é que eles facilitam e muito a gestão precisa e fácil da glicemia,le vando em consideração o dia a dia da pessoa portadora de diabetes e às tomadas de decisões em relação aos cuidados com o diabetes.

Dois aparelhos

iBG*Star é ultracompacto e, como eu já disse, pode ser conectado ao seu iPhone ou ao seu iPod Touch, exibindo os resultados em cores, em uma tela táctil. Pode ser também utilizado separadamente, de forma portátil, para dosagens da glicemia. Com design específico, o gerenciador do diabetes iBG*Star permite a gestão fácil dos dados, assim como sua comunicação aos profissionais de saúde.

Já o BG*Star emprega uma tecnologia patenteada, a Dynamic Eletrochemistry, para leituras precisas e confiáveis da glicemia, sem necessidade de codificação. O aparelho também apresenta diversas funcionalidades, como alertas, lembretes programáveis e notas para explicar os resultados. Uma tela retroiluminada permite visualizar rapidamente e facilmente os resultados, avaliá-los e discuti-los.

Lembrando que o lançamento foi feito no dia 9 de junho, com a presença da Dra. Denise Franco, endocrinologista, em um encontro “Conversa com Blogueiros”, promovido pela Sanofi. Segundo a especialista, o automonitoramento contínuo e o acompanhamento do médico é essencial para o controle, e até para entender e validar os resultados do exame de hemoglonina glicada. Um bom número no exame pode esconder constantes hipos assintomáticas, se ele é feito e lido juntamente com o controle diário, acaba tendo mais validade.

Assista ao vídeo >>> http://goo.gl/1cZGLt