Arquivo da categoria: Saúde

Diabetes na criança: material de apoio para pais e escola

Frequentemente os pais solicitam material sobre diabetes para mostrar para a escola, ou para conhecidos. Encontrei um vídeo bastante interessante do Hospital Albert Einstein nessa linha.

Há ainda um site chamado Diabetes nas Escolas, mantido em parceria pelaSociedade Brasileira de Diabetes e Associação de Diabetes Juvenil com informações muito bacanas, escritas de uma maneira leve e didática. O destaque vai para as “Dicas da Bete – o que a nossa escola pode fazer para abraçar a causa dos alunos com Diabetes”. O foco do trabalho são os professores e demais educadores, para que possam lidar melhor com as necessidades do aluno diabético no ambiente escolar. O material, todo ilustrado, colorido, está disponível para download e pode ser impresso para uso na escola. O site também traz vídeos e podcasts, tudo para facilitar o entendimento do diabetes na escola.

Também fiz uma busca no You Tube sobre o assunto. Está aqui prontinho para você. É só clicar!

Atividade física no controle do Diabetes

Coluna publicada originalmente no blog Educação em Diabetes no dia 30/05/2012*

Podemos incluir a atividade física na nossa vida desde cedo, como mostra este clipe da campanha do Dia Mundial do Diabetes, veiculado em 2010. O foco dele é a criança, mas serve para todos nós. Vamos deixar o vídeo-game, o computador um pouquinho, levantar da cadeira e agir. Nunca é cedo demais. E nunca é tarde demais para começarmos a nos mexer. O resultado será um controle mais efetivo do diabetes para uma vida mais saudável.

O vídeo vai de encontro  ao que a nutricionista Adriana Lúcia van-Erven Ávila, da Clínica Christiane Sobral, explicou em artigo publicado aqui no blog na última segunda-feira (28). No texto, ela compara o tratamento do diabetes com um carro, que sem suas quatro rodas não sai do lugar. Uma das rodas, segundo a especialista, é justamente a prática de atividade física.

Você já incluiu essa prática no seu cotiano? Meia horinha por dia de caminhada traz um ganho significativo para a sua vida. Levante-se. Vamos lá. Vamos controlar o diabetes já!

Mais obre atividade física na infância:

– Diabetes e brincadeiras

Mais sobre atividade física:

– Diabetes: mexa-se

*Eu e a nutricionista Camila Faria escrevemos diariamente sobre diabetes no blog Educação em Diabetes, da Doce Vida! Acompanhem!

Viver com diabetes e o desafio de viver com saúde

É, esse é o grande desafio do diabético, seja tipo 1, tipo 2, Mody ou Lada. Não importa. Isso que nos une. O grande desafio. Viver com diabetes e manter a saúde. Viver com saúde. Cuidar do corpo para prolongar a vida. Mas talvez tenhamos que cuidar antes da cabeça, para conseguir cuidar do corpo. E quantas desculpas temos para não cuidar de nenhum dos dois!

Por que cuidar da cabeça, da mente? Porque antes de tudo é preciso aceitar a doença. Não digo que não devamos ter esperanças de cura, mas isso não significa negar a doença a ponto de se descuidar e se prejudicar. Comportamentos de risco levam a situações de risco. Levam a complicações que tiram a nossa qualidade de vida.

Este ano, completo nove anos de diabetes. Nove anos exemplares? Não. Não mesmo. Essa doença não é fácil não. Esse negócio do mau invisível, do fogo amigo, é complicado! Contribui para que tenhamos um comportamento meio suicida. Suicida? Sim, não é exagero. Se eu sei que tenho uma doença, que se eu agir de determinada forma isso vai me prejudicar, vai me levar a enfrentar problemas, e consequentemente à morte, que comportamento é esse?

Isso é uma autocrítica. Hoje: 141 de jejum. Alguma coisa está errada. Não estou me comportando como deveria. Está na hora de rever tudo em busca do desafio de viver com diabetes com saúde!

E você, como tem se comportado? Qual é a sua maior dificuldade?

Anvisa: victoza não serve para emagrecimento

Às vezes, me decepciono com meus colegas jornalistas que prestam um desserviço à população. Recente matéria na revista de maior circulação no país exalta o Victoza como uma alteranativa para quem precisa perder peso. Há exemplos de pessoas que o usam com essa finalidade e médicos que receitam o medicamento, mesmo não sendo apropriado para este fim. Resultado: correria nas farmácia e drograrias levou à falta do produto para quem realmente precisa, os diabéticos tipo 2.

Encontrei esta nota no site da Proteste e resolvi postar aqui:

Novo medicamento, destinado para pacientes com diabetes tipo 2, não é indicado para perda de peso.

Recentemente um novo medicamento causou grande correria às farmácias especializadas. O Victoza (liraglutida) ganhou fama na imprensa e no mercado com a promessa de auxílio na perda de peso – e sem efeitos colaterais. A procura pelo Victoza é tão grande que o medicamento literalmente sumiu das farmácias. Isso se transformou em um problema para quem realmente precisa desse produto: os diabéticos. Atualmente, o Victoza está em falta em vários estados.

O que muita gente não sabe é que o Victoza não serve para quem quer emagrecer. O medicamento é destinado ao controle glicêmico em pacientes adultos com diabetes mellitus tipo 2, e precisa ser associado com dieta e atividade física. Ele deve ser administrado uma vez ao dia (como monoterapia) ou como tratamento combinado com um ou mais antidiabéticos orais (metformina, sulfoniluréias ou uma tiazolidinediona), quando o tratamento anterior não proporciona um controle glicêmico adequado.

Diante desse quadro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou em seu site uma nota informando a real utilidade do Victoza. A entidade também alertou para a falta de estudos que comprovem a eficácia ou segurança do uso deste medicamento para a redução de peso e tratamento da obesidade. Segundo a Anvisa, o uso do Victoza por pessoas não diabéticas pode oferecer riscos à saúde.

Dentre os efeitos colaterais listados na bula do Victoza estão hipoglicemia, dores de cabeça, náusea e diarreia (mais frequentes) e ainda pancreatite, desidratação e alteração da função renal e da tireóide. Por ser um medicamento novo, ainda não houve tempo suficiente de utilização para que se possam conhecer todos os efeitos adversos que podem decorrer do uso desse produto. Nesse contexto, fica claro que só deve utilizar o Victoza quem realmente precisa dele: pacientes com diabetes tipo II, que não respondem bem às demais opções de tratamento para controle de glicemia e, ainda assim, sempre sob recomendação médica.

Ando esquecendo de me cuidar mais

Ando com a cabeça no mundo do Lucas. Esqueço de fazer o destro. Quando lembro, já coloquei o primeiro pedaço de pão na boca, ou um gole do café. Aí, o jejum já era! Até faço, mas sei lá… deve dar alterado.

Nem pareço aquela pessoa que acordava e já ia logo furando o dedo! Na gravidez, nunca esquecia. É porque o Luquinhas ainda estava lá dentro e eu tratava de cuidar direitinho dele, como tento fazer agora. Só que, no momento, acabo esquecendo que eu também tenho de me cuidar. Afinal, quero usufruir da presença dele o máximo possível nesta vida! E com muita saúde!

Vocês estão disciplinados com os testes do glicosímetro? Quantas vezes, em média, vocês fazem o teste por dia?

Um dia maravilhoso para todos!

Atividade física: preciso tirar dos planos e ir para a prática

Todo dia, eu acordo pensando: “preciso voltar à academia. E o dia passa e a academia continua somente nos planos.
Não que eu não me exercite. Com o Lucas, é praticamente impossível ficar parada. Ele é um serelepe. Haja braço para segurá-lo quando ele resolve pular! E fôlego. Fora que tenho feito muito mais coisas em casa, já que, no momento, não estou trabalhando fora. Com essas atividades de mãe e dona de casa, mais a amamentação, deu não só para recuperar o peso de antes da gravidez como para perder outros seis a mais. Bom, né?
Mas acho que a atividade física, feita numa academia, vai me ajudar ainda mais no controle glicêmico. Fora que a gente sai um pouco de casa, conversa e, de quebra, fica mais disposta e com o corpo em cima. O difícil é derrubar a preguiça.
E vocês? Têm feito atividade física? Vão à academia? Fazem por conta própria? Que cuidados tomam antes e depois do exercício? E o que fazem para derrubar a preguiça?
Um bom dia para vocês e xô preguiça!

Diabetes, gravidez, filho, trabalho…

Estou devendo um post já faz um bom tempo, mas tenho acompanhado e lido e respondido todos os comentários, que fazem este blog se movimentar.

Passei por alguns momentos de apreensão. Minha licença-maternidade de 120 dias terminou dia 17 de dezembro. Fiz uma campanha junto ao RH e ao presidente da instituição que eu trabalhava para adotar os 180 dias, já que eles são uma entidade médica e achava que eles deveriam dar o exemplo, ainda mais por se tratar de um movimento encabeçado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). O que eu consegui foram dois períodos de 15 dias para aleitamento. Um, antes das férias. Outro, depois. Assim, fiquei com cinco meses, mais as férias em janeiro, consegui completar os seis de aleitamento.

Estava, desde o final de janeiro, apreensiva com o retorno. Várias coisas me afligiam. Claro, deixar o Lucas era a principal, mas tinha a consciência de que, com o tempo, me acostumaria, ainda mais porque eu tinha um horário flexível e amo o que faço. Estava apreensiva por tudo o que passei desde o terceiro mês de gravidez, no trabalho, mas que não quis postar aqui. Estava com receio de que tudo se repetisse na minha volta. Prefiro não entrar em detalhes. O fato é que eu fui dispensada no meu retorno.

Estou em casa, com o Lucas, curtindo meu filhote, investindo em projetos pessoais e profissionais. E este blog é com certeza um dos meus projetos de vida. Espero poder me dedicar cada vez mais a ele e a outros projetos bacanas que venham a surgir. Que venham! Estou com garra!