Arquivo da tag: ADJ

Importante – Renovação de Pedido Administrativo de Medicamentos e Insumos em São Paulo

O site da Associação de Diabetes Juvenil traz um comunicado importante hoje sobre a Renovação de Pedido Administrativo de Medicamentos e Insumos.

Com a entrada em vigência da RESOLUÇÃO SS 54/12, em julho/12, muitas dúvidas tem surgido por parte das pessoas que já recebem administrativamente os medicamentos e insumos da Secretaria Estadual de Saúde. Será que vou continuar a receber tudo que já era fornecido?
 
Por esta nova Resolução, todas as pessoas que já vem recebendo administrativamente, terão que fazer a renovação e pode ser ainda no AME MARIA ZELIA, uma única vez.

Continue lendo no site da ADJ, clique aqui.

**

Você gosta deste blog? Acha que ele traz informações relevantes. Se a sua reposta é sim, não deixe de votar no Prêmio Top Blog 2012, categoria saúde. Vamos colocar o diabetes no topo do pódio! Obrigada! Clique no banner abaixo:

Charlie Kimball: fama em prol do diabetes

Piloto encanta crianças

Admiro pessoas que usam a fama em prol de alguma causa. Mais bacana ainda é ver um cara usar a sua fama para mostrar que é possível vencer apesar de alguma dificuldade, seja ela de saúde, financeira, de relacionamento… Um exemplo é o piloto de fórmula Indy, Charlie Kimball, que corre a prova Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé no próximo domingo.

Na última sexta-feira, dia 29, o evento mais importante do dia passou longe do casamento real para sete crianças que fazem parte da ADJ – Associação de Diabetes Juvenil. O encontro com o piloto no Anhembi foi marcado pelo entusiasmo das crianças, que puderam ver que o diabetes não pode impedir os seus sonhos. Uma dessas crianças foi a Vivi, filha da Nicole, parceira de blog. Olha a carinha de alegria dela na foto (de óculos).

Kimball, 26 anos, corre pela equipe Novo Nordisk Ganassi e é o único diabético no automobilismo de alto nível. Foi diagnosticado em 2007 e chegou a pensar que nunca mais iria poder correr. Ele usa um transmissor colado no braço esquerdo que passa as informações para o monitor de glicemia instalado no volante de seu Dallara-Honda quando está na pista. Quando a glicemia está baixa, ele bebe um pouco do suco de laranja que fica na garrafa que leva no carro.

Nos EUA, o piloto faz o mesmo tipo de trabalho, visitando associações de diabéticos. A mensagem que ele quer deixar é que o diabetes não pode atrapalhar sua vida: “se você quer ser piloto, músico, jogador de futebol, vá em frente.”

*com informações de agências de notícias: Terra, Uol, Estado.

Ajuda aos novos insulino-dependentes

_resizeEstou sentindo na pele como é ter de tomar insulina. Tem sido uma experiência e tanto e eu aprendo a cada dia com os meus amigos de blog. Aí, lembrei-me do dia em que tive de comprar a minha primeira insulina. É, a primeira insulina a gente nunca esquece…

Como estava meio perdida, apesar de toda a dedicação da minha médica em me explicar tudo, fui comprar tudo o que eu precisava na ANAD – Associação Nacional de Assistência ao Diabético. Isso porque sabia que lá ia encontrar profissionais aptos a me explicar todos os procedimentos, e já com a caneta e a insulina em mãos.

Após comprar os produtos que precisava, fui atendida por uma enfermeira, que mostrou todos os procedimentos: como e onde aplicar a insulina, os cuidados, as precauções. Valeu a pena porque me senti mais segura.

Recentemente, a empresa Novo Nordisk lançou um programa chamado Novo Dia, em parceria com outro grande laboratório, a Bayer. Aliás, uma novidade e tanto. Dois laboratórios juntos num programa de apoio ao paciente. Pelo programa, além da pessoa poder esclarecer suas dúvidas sobre o diabetes, ela recebe explicações sobre o uso do glicosímetro para monitoração da glicemia e orientação sobre a aplicação das insulinas. O atendimento é feito por profissionais especializados (enfermeiras e nutricionistas) e a visita em domicílio dura aproximadamente uma hora, tempo mais do que suficiente para esclarecer todas as dúvidas. Ao aderir ao programa, que é gratuito e voltado para aqueles que utilizam as insulinas da Novo Nordisk, o paciente ganha o glicosímetro da Bayer, o Breeze.

Para saber mais:

www.programanovodia.com.br
0800 707 3551 e pelo e-mail atendimento@programanovodia.com.br.

Anad – www.anad.org.br

ADJ – www.adj.org.br

Cristiana quer se corresponder com outras mães que tenham filhos diabéticos

Eu, Cristiana, tenho 31 anos e sou mãe de Gabriela que tem 3 anos e recentemente recebemos o diagnóstico da doença.

Em nove de janeiro de 2008, Gabriela foi internada no hospital infantil São Camilo, em BH, onde ficou por cinco dias no CTI e recebeu alta (do hospital) após sete dias de internação, saindo do hospital com o diagnostico de diabetes tipo 1.

Como mãe senti que o meu mundo estava se acabando, um enorme vazio e medo tomaram conta de mim, pensei que não iria dar conta de cuidar da minha filha. Ver minha pequena depende de uma medicação, sendo furada sucessivamente por agulhas várias vezes ao dia e tendo que lidar com uma alimentação rígida e controlada e ainda ter que explicar para uma criança de 3 anos o por quê que de repente tudo isso. Aconteceu assim…. Foi e ainda esta sendo muito difícil!

Foi uma mudança radical em nosso lar, em nossa família e desde então estamos tentando lidar com a doença e fazer com que a Gabriela leve uma vida o mais normal dentro do possível. O que mais nos entristece é que após sete meses que convivemos com o diabetes ainda não conseguimos um controle sobre ele. As glicemias da Gabriela ainda oscilam muito, temos muitas dúvidas quanto aos alimentos, aos médicos e tipos de insulinas, e os medos persistem.

Bom gostaria muitos de trocar experiências com outras mães que vivenciam os mesmos problemas que os meus e até mesmo aquelas que já passaram por eles e possam me ajudar de alguma forma. Esse é um apelo de uma mãe que pede ajuda e vive a diabetes como se fosse uma diabética.

Obrigada pelo espaço!

***

Minha resposta:

Cristiana,
 
Muito obrigada pelo seu depoimento. Posso ajudar, destacando no blog esta história. Se vc quiser deixar um email que eu possa divulgar. Existem outras pessoas nessa situação que devem querer compartilhar e dividir essa experiência. 

Sugiro o site da ADJ – Associação Nacional de Diabetes Juvenil – www.adj.org.br. Lá eles tem apoio psicológico, apoio nutricional, informações importantes, atividades para  crianças, adolescentes e jovens.

 
Abraço,
Luciana.