Arquivo da tag: glicemia de jejum

Todos os posts sobre a minha gravidez com diabetes

Tem muita  mulher que entra aqui querendo saber um pouco mais sobre gravidez e diabetes. São futuras mamães em potencial, procurando na web apoio para a decisão de engravidar. Querem ouvir histórias de mulheres que engravidaram sendo diabéticas. Eu sou uma dessas mulheres.

É preciso planejamento, vontade, determinação, persistência. E, sim, é possível ter uma gravidez, apesar dos percalços, maravilhosa, como eu tive.

Para facilitar as buscas, reuni todos os posts numa página só. É só clicar no menu acima. Espero poder colaborar com essas futuras mamães.

Quero pedir para vocês que passaram por essa experiência, de ser diabética e ter engravidado, que deixem seus relatos aqui no blog para dividir com outras mulheres.

Boa leitura!

Lua de mel com o diabetes

Estou em lua de mel (ops, mel não pode!) com o diabetes. É estranho porque sei que uma hora essa mamata vai acabar. Hoje, meu jejum estava 93. Estou curiosa para ver a minha glicada. Sem tomar remédio ou insulina por conta do aleitamento, sinto-me quase uma pessoa normal. Mas tem uma sensação que não passa, mesmo nessa lua de mel, eu sei que sou diabética, e que não posso me esquecer disso.

Às vezes, nos pegamos querendo nos enganar. Fingindo que o problema não nos atinge, que não é com a gente. Tem quem ignore totalmente o fato de ser diabético e de precisar se cuidar (não é o meu caso, estou sem medicação por orientação médica e fazendo os devidos controles). Parece aquele casal que sai numa segunda lua de mel tentando salvar o casamento, mas eles sabem que há um problema muito maior, e que viagem alguma pode resolver. O problema é crônico e só se resolve com muita compreensão, com muita conversa, buscando entender o outro e, claro, com muito amor.

Pois assim é com o diabetes. Passamos por momentos tranquilos, como o que estou agora, mas temos sempre de encarar o problema de frente. E encarar o problema de frente é buscar compreender a doença, conversar sobre ela, buscar entender o seu funcionamento e ter muito amor pela vida para querer preservá-la lá na frente. No nosso caso, não temos como pedir o divórcio. Precisamos nos acertar com o diabetes o quanto antes e seguir em frente.

E você? Como mantém esse “casamento”?

Diabetes, gravidez, filho, trabalho…

Estou devendo um post já faz um bom tempo, mas tenho acompanhado e lido e respondido todos os comentários, que fazem este blog se movimentar.

Passei por alguns momentos de apreensão. Minha licença-maternidade de 120 dias terminou dia 17 de dezembro. Fiz uma campanha junto ao RH e ao presidente da instituição que eu trabalhava para adotar os 180 dias, já que eles são uma entidade médica e achava que eles deveriam dar o exemplo, ainda mais por se tratar de um movimento encabeçado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). O que eu consegui foram dois períodos de 15 dias para aleitamento. Um, antes das férias. Outro, depois. Assim, fiquei com cinco meses, mais as férias em janeiro, consegui completar os seis de aleitamento.

Estava, desde o final de janeiro, apreensiva com o retorno. Várias coisas me afligiam. Claro, deixar o Lucas era a principal, mas tinha a consciência de que, com o tempo, me acostumaria, ainda mais porque eu tinha um horário flexível e amo o que faço. Estava apreensiva por tudo o que passei desde o terceiro mês de gravidez, no trabalho, mas que não quis postar aqui. Estava com receio de que tudo se repetisse na minha volta. Prefiro não entrar em detalhes. O fato é que eu fui dispensada no meu retorno.

Estou em casa, com o Lucas, curtindo meu filhote, investindo em projetos pessoais e profissionais. E este blog é com certeza um dos meus projetos de vida. Espero poder me dedicar cada vez mais a ele e a outros projetos bacanas que venham a surgir. Que venham! Estou com garra!

Gravidez e diabetes: 5 meses depois…

Nosso primeiro Natal juntos.

Quando fiquei grávida, decidi compartilhar com todos a minha experiência como diabética e grávida. Foi a melhor decisão que tomei, porque pude me aproximar de muita gente que passou pelo o que eu passei e que me deu força, me apoiou, assim como pude incentivar outras mulheres diabéticas.

E qual não é a minha felicidade cada vez que me deparo com participantes deste blog grávidas. E utimamente não tem sido poucas. Algumas programaram, outras não. Percebo, em todas, uma pontinha de medo, por mais que tudo pareça sob controle. É assim mesmo. Nossa preocupação como mãe já começa antes mesmo de concebermos. Queremos que tudo esteja nota 10, mas precisamos nos contentar, de vez em quando, com um 9, com um 8,5, às vezes com uma nota abaixo da média.

O mais difícil da gravidez de uma diabética é manter os níveis diários sob controle e manter a calma. A gravidez muda tudo, o organismo age de forma totalmente inesperada. Quando pensamos que estamos fazendo tudo certo, nos decepcionamos com um nível glicêmico ruim. Mas precisamos continuar e continuar nos esforçando para atingir a meta. Vejo isso agora, o Lucas completou cinco meses no último dia 19 e percebo o quanto todo o meu esforço valeu a pena: 6,850 gramas e 64 cm de pura gostosura, sorrisos, chamegos… Cinco meses de fraldas deliciosamente sujas, de mamadas e mais mamadas, colo, noites sem dormir, amor sem fim…

E esses meses pós-nascimento do Lucas só tem feito bem a minha saúde. Controle nota 10! Tá bom, confesso, tirei 9!

A todas as mulheres diabéticas que estão gravidinhas e que terão seus pequenos em 2010, o meu parabéns, o meu apoio, a minha alegria. A todas que decidirem ficar grávidas, o meu incentivo. Tem de ser persistente. O resultado é lindo!

Gravidez e Diabetes: Exames

A Margarete deixou um comentário dizendo que ela foi fazer o exame de fundo de olho. Também fiz, na sexta-feira passada. Fiquei um tempão no oftalmologista, mas está tudo certo. Por enquanto, nenhuma alteração. Fiz o mesmo exame no início da gestação, porque a retinopatia pode surgir na gravidez, que é um período mais delicado para a mulher diabética.

Anualmente, faço o exame para checar se está tudo em ordem.

Fiz também o ultrasom, que revelou um bebê lindo e grandão, com 40 centímetros e 1,6 kg. Ela observou, durante o exame, que não há aumento do líquido aminiótico e nem da circunferência abnominal do bebê, que seriam dois indicativos de que as coisas poderiam não estar correndo bem. Felizmente, o Lucas está ótimo e protegido. Alívio.

Também fui cuidar dos meus dentes. Gestante já fica com a gengiva fragilizada e se for diabética ainda mais. Por isso, fiz a limpeza. E devo voltar mês que vem para uma manutenção.

Esta semana, tenho nutricionista. E assim vai…

***

Hoje, não estou bem. Ando muito estressada por conta de alguns acontecimentos desagradáveis no trabalho. Estou com taquicardia, dor de cabeça, enjôo… Ontem, a minha glicemia ficou totalmente descontrolada. Não consegui me alimentar direito e nem nas horas certas. É tanta coisa que a gente tem de administrar.

Gravidez e diabetes: mais estabilizado

Estou mais tranquila por esses dias. Passei um feriado curtindo a casa e cuidando do marido com gripe (não é a suína não!). E controlando a minha glicemia. A estratégia de usar a insulina rápida antes das refeições tem dado resultado e a glicemia tem se estabilizado mais. O único problema, vê se pode, é que eu esqueço, às vezes, de tomar a insulina lenta no horário do almoço, conforme a alteração que a minha médica fez há duas semanas, mas vou entrar na linha.

Fiz o ultrassom morfológico na quinta-feira e está tudo nem. Meu pequeno está ótimo. Lindinho.

Também fiz alguns exames, como hemograma completo e urina. Além da hemoglobina glicada, que não saiu ainda, e a glicemia de jejum para comparar com o meu aparelho. Esta me deixou feliz. Enquanto o meu aparelho marcava 108, com  a mesma amostra de sangue, marcou 92 no sangue total.

Vamos que vamos em frente! Boa semana!