Arquivo da tag: SBD

Dia Mundial do #Diabetes – origem e história

O Dia Mundial da Diabetes é comemorado todos os anos no dia 14 de novembro. A campanha do Dia Mundial do Diabetes é liderada pela Federação Internacional de Diabetes (IDF ) e suas federações filiadas, no Brasil, pela Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD – clique no banner ao lado ou abaixo e seja encaminhado para a página oficial do Dia Mundial do Diabetes no Brasil). Ela envolve milhões de pessoas em todo o mundo em defesa do diabetes e da consciência e informação sobre a doença.

Selo do Dia Mundial do Diabetes

Selo do Dia Mundial do Diabetes

O Dia Mundial do Diabetes foi criado em 1991 pela International Diabetes Federation e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em resposta às crescentes preocupações sobre em razão do avanço do diabetes no mundo. O Dia Mundial do Diabetes se tornou um dia oficial das Nações Unidas em 2007, com a aprovação da Resolução das Nações Unidas 61/225 . A campanha chama a atenção para questões de suma importância para o mundo do diabetes diabetes e se mantém firmemente no centro das atenções do público em todo o mundo.

WDD-Top5-animated-125x125

O Dia Mundial do Diabetes é uma campanha que apresenta um novo tema escolhido pela Federação Internacional de Diabetes a cada ano para tratar de questões enfrentadas pela comunidade global de diabetes. Enquanto as campanhas temáticas são trabalhadas durante todo o ano, o próprio dia é comemorado em 14 de novembro, para marcar o aniversário de Frederick Banting, que, juntamente com Charles Best, concebeu a primeira ideia que levou à descoberta da insulina em 1922.

Diabetes Educação e prevenção é o tema do Dia Mundial do Diabetes para o período 2009-2013

Onde é comemorado?

O Dia Mundial do Diabetes é comemorado em todo o mundo pelas mais de 200 associações membros da Federação Internacional de Diabetes em mais de 160 países e territórios, incluindo o Brasil, todos os Estados Membros das Nações Unidas, bem como por outras associações e organizações, empresas, profissionais de saúde e pessoas que vivem com diabetes e suas famílias.

Como é marcado?

A comunidade global de diabetes, incluindo as associações e a Federação Internacional, membros, organizações de diabetes, ONGs , secretarias de saúde , sociedade civil, indivíduos e empresas são chamadas a desenvolver uma extensa gama de atividades, adaptadas a uma variedade de grupos. Atividades organizadas a cada ano incluem:

– Programas de rádio e televisão
– Eventos esportivos
– Exames de detecção gratuitos para diabetes e suas complicações
– Reuniões de informação pública
– Cartaz e folheto campanhas
– Oficinas e exposições
– Coletivas de Imprensa
– Jornais e revistas, artigos
– Eventos para crianças e adolescentes
– Iluminações de monumentos
– Círculos azuis humanos
– Eventos políticos

Existe um tema?

A cada ano o Dia Mundial da Diabetes é centrado em um tema relacionado ao diabetes. Os tópicos abordados no passado incluíram diabetes e direitos humanos, diabetes e estilo de vida, os custos de diabetes. Temas recentes incluem:

2005: Diabetes e Cuidados com os pés
2006: Diabetes no desfavorecidos e vulneráveis
2007-2008 : Diabetes em Crianças e Adolescentes
2009-2013 : Diabetes Educação e Prevenção

O logotipo do Dia Mundial do Diabetes

Imagem

O logotipo do Dia Mundial do Diabetes é o círculo azul – o símbolo mundial do diabetes, que foi desenvolvido como parte do Unite para a campanha de sensibilização da Diabetes. O logotipo foi aprovado em 2007 para marcar a passagem do Dia Mundial do Diabetes como resolução das Nações Unidas . O significado do símbolo do círculo azul é extremamente positiva . Em diferentes culturas, o círculo simboliza a vida e a saúde. A cor azul reflete o céu que une todas as nações e é a cor da bandeira das Nações Unidas . O círculo azul significa a unidade da comunidade global de diabetes em resposta à pandemia da diabetes.

Fonte: IDF – Federação Internacional de Diabetes – texto traduzido na íntegra

Semana de Alerta e Combate aos Diabetes

Atividades têm início neste final de semana

Fonte: Sociedade Brasileira de Diabetes (www.diamundialdodiabetes.org.br)

O diabetes mata uma pessoa a cada oito segundos, segundo a International Diabetes Federation – IDF. Para alertar a população sobre os riscos da doença, comemora-se, em 14 de novembro, o Dia Mundial do Diabetes. E, a partir deste 2011, a Sociedade Brasileira do Diabetes (SBD) iniciou uma nova proposta: Semana de Alerta e Combate ao Diabetes – de 7 a 14 de novembro. O objetivo é que as atividades possam se estender e repercutir durante toda semana, a fim de aproveitar todo esforço que os associados e a população realizam para o Dia Mundial.

O tema de 2011 é “Aja Pelo Diabetes. Agora.” Este é o terceiro ano da campanha “Diabetes: Educar Para Prevenir”, escolhida para o período 2009-2013. O Dia Mundial do Diabetes é divulgado em todo o mundo em mais de 160 países e territórios. No Brasil, as ações são coordenadas pela Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD).

Cada região do Brasil usa os recursos disponíveis para disseminar informações importantes para ajudar a controlar e prevenir o diabetes, além de educar a população em geral.

Os objetivos para este ano são:
– Encorajar os governos a programar e fortalecer políticas para a prevenção e controle do diabetes e suas complicações;
– Disseminar ferramentas para apoiar as iniciativas nacionais e locais para a prevenção e controle do diabetes e suas complicações;
– Explicar a importância da educação baseada em evidências na prevenção e controle do diabetes e suas complicações;
– Chamar a atenção para os sinais de alerta do diabetes e promover ações para incentivar o diagnóstico precoce;
– Aumentar a conscientização e promover ações para reduzir os principais fatores de risco para o diabetes tipo 2;
– Aumentar a conscientização e promover ações para prevenir ou retardar as complicações do diabetes.

Como Participar?
A comunidade global do diabetes, incluindo a SBD, associações e organizações de diabetes, ONGs, secretarias de saúde, sociedade civil, pacientes, população em geral e empresas têm desenvolvido uma extensa gama de atividades, adaptadas a uma variedade de grupos.

Isso inclui:
– Participação em programas de rádio e televisão;
– Promoção de eventos desportivos;
– Eventos gratuitos sobre o diabetes e suas complicações;
– Reuniões de informação pública;
– Campanhas de cartazes e folhetos;
– Workshops e exposições;
– Reportagens e artigos em jornais e revistas;
– Eventos para crianças e adolescentes;
– Iluminação de monumentos;
– Círculos azuis humanos.

As atividades já terão início neste final de semana. Confira a programação completa no site: http://www.diamundialdodiabetes.org.br

Curtas

Ausência
Andei meio fora do circuito por conta do trabalho.

80 Blogs de Época
Fiquei feliz em ver um blog sobre diabetes entre os escolhidos de Época. Parabéns à Sociedade Brasileira de Diabetes por ter o seu blog numa lista tão seleta. Para quem não conhece: blog.diabetes.org.br

Agradecimento
Quero agradecer dois blogs por terem destacado o meu trabalho aqui no Viver com Diabetes: o CyberSociedade e o Blog dos Irmãos. Valeu!

Para todos que pedem informações sobre cirurgia do Diabetes

Repito mais uma vez: a cirurgia  do diabetes ainda está em fase experimental e ainda não foi aprovada para ser realizada em grande escala, só tem sido feita como parte de estudos. Ainda depende de aprovação nos Conselhos de Ética. Mais informações, sugiro:

Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) – www.diabetes.org.br
Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) – www.endocrino.org.br

Cirurgia do Diabetes

Tenho recebido muitas perguntas relacionadas à cirurgia do diabetes. Sugiro como fonte o artigo publicado no site da Sociedade Brasileira de Diabetes – SBD (www.diabetes.org.br), na cobertura do Congresso Mundial, realizado recentemente na Califórinia:

http://www.diabetes.org.br/reportagens_online/index.php?id=1598

Diabetes: prevenção e informação – Parte 5

Preocupação mundial
A preocupação é mundial, tanto é que pela primeira vez Organização das Nações Unidas reconheceu oficialmente o dia 14 de novembro como o Dia Mundial do Diabetes. Neste dia, os principais monumentos, em todo o mundo, foram iluminados de azul, como forma de chamar atenção para a doença.

Uma resolução da Federação Internacional de Diabetes (IDF) divulgada em Nova York, nesse dia, aponta alguns resultados esperados dessa ação: o aumento da conscientização global sobre o diabetes; maior reconhecimento do fardo humano, social e econômico do diabetes; ter o diabetes como uma prioridade mundial em nações individuais; o implemento de estratégias efetivas, financeiramente, para prevenção nas complicações do diabetes; a produção de estratégias de saúde pública, para a prevenção, possíveis de serem custeadas; o reconhecimento de grupos de “necessidades especiais” (crianças com diabetes, idosos, indígenas, imigrantes, de países em desenvolvimento, e gestantes); e o aumento do número de pesquisas em busca da cura.

Dados do IDF, apontam um crescimento vertiginoso do número de pacientes diabéticos. De 2000 para cá, o número de pessoas com diabetes duplicou. Estima-se, hoje, que sejam mais de 230 milhões de pessoas no mundo convivendo com a doença. A cada cinco segundo, surge um novo portador de Diabetes.

No Brasil, não se ao certo o número de diabéticos. Estima-se que a média seja a mesma mundial, cerca de 10% da população. O último levantamento sobre o número de pessoas com Diabetes no País foi feito no final dos anos 1980. “Naquele estudo, 50% das pessoas que eram diabéticas não sabiam que eram”, destaca Tambascia. Um novo censo está sendo preparado pelo IBGE, em conjunto com a SBD, para se chegar a um levantamento atualizado sobre a doença.

O crescimento vertiginoso, na opinião de especialistas, é resultado de um conjunto de fatores. “Temos observado uma maior preocupação de pacientes e médicos na busca do devido diagnóstico. Por outro lado, o número de diabéticos cresce em todo o mundo e não poderia ser diferente no Brasil, em decorrência de maus hábitos alimentares e sedentarismo”, destaca Lyra. O presidente da SBEM salienta que o envelhecimento da população também contribui para o aumento nos casos de diabetes.

O impacto financeiro e social da doença é alto. No mundo, calcula-se que os gastos com o tratamento do diabetes e de suas complicações tenham ficado 215 e 375 bilhões de dólares, em 2007.

O professor adjunto da Santa Casa, Osmar Monte, lembra que prevenir é muito menos custoso, tanto financeiramente, quanto socialmente. “Mas, para isso, é preciso focar a médio e longo prazo, porque os resultados não serão imediatos”, ressalta.

No encontro realizado em Nova York, as discussões mostraram que não é só o Brasil que enfrenta dificuldade em sensibilizar o governo, as autoridades e até mesmo a saúde suplementar para a necessidade de promover prevenção e o tratamento adequado às pessoas com Diabetes. A conclusão da reunião foi de que “é preciso haver o comprometimento dos governos para implantação de programas nacionais de tratamento de Diabetes, independentemente de questões políticas e eleitorais.”

***

Fim!

Diabetes: prevenção e informação – Parte 4

Acesso à informação
Um outro desafio das entidades é promover a educação e o acesso à informação para o público em geral. No caso do diabetes tipo 1, que normalmente se desenvolve ainda na infância ( com exceção do diabetes LADA – Latent Autoimmune Diabetes in Adults), e atinge 3% dos portadores de diabetes, Monte aponta os maiores desafios dos profissionais que atendem ao paciente: “em primeiro lugar, fazer com que os pais aceitem a doença; em segundo, convencê-los a não se sentirem culpados pela doença do filho; em terceiro, fazer com que a própria criança aceite. E há outra questão, a escola normalmente não está preparada para receber uma criança diabética, o que se torna um problema social”. O atendimento deve envolver o endocrinologista, o nutricionista, a enfermeira, o professor de educação física e um psicólogo ou psiquiatra.

No caso do diabetes tipo 2, o mais comum, que atinge mais de 90% da população diabética do mundo, o principal desafio é a mudança de hábitos. “O paciente tem de enfrentar um certo sacrifício alimentar, uma mudança, muitas vezes, drástica no estilo de vida, incluindo a atividade física no seu cotidiano. Para que ele dê continuidade à atividade, é importante que ele seja incentivado pelo médico a procurar uma atividade que considere prazeirosa”, salienta o presidente da SBEM-SP.

A Anad e a Associação de Diabetes Juvenil (ADJ) têm procurado realizar campanhas anuais, no Dia Mundial do Diabetes, 14 de novembro, para promover a educação para o público. As campanhas de detecção, como a realizada pela Anad no dia 11 de novembro, têm este papel: alertar a população sobre os riscos do diabetes. Entre os dia 7 e 9 de dezembro, a ADJ realizaou o seu congresso anual, que é voltado para todos os profissionais que atendem o paciente diabético, mas também ao próprio paciente e aos familiares. “O trabalho da ADJ é possibilitar o acesso à informação, educação e conhecimentos dos direitos das pessoas com diabetes”, declarou o então presidente Sussumu Niyama. A presidente eleita é Ione Taiar Fucs, que assume neste 2008.

“A ADJ e a Anad cumprem bem o papel da informação. Estas campanhas são importantes para lembrar da doença e de suas complicações”, destaca o presidente da SBD, Marcos Tambascia. Tanto a Anad, quanto a ADJ, além das campanhas e congressos anuais, possuem programações diárias de atendimento e orientação ao diabético. São palestras, consultas, cursos de culinárias, orientação em nutrição, serviço de podólogo, entre outras atividades.

Na SBEM, segundo Lyra, o Departamento de Diabetes têm trabalhado para “conscientizar a população quanto ao entendimento da doença e sobre os riscos que correm aqueles que não se esmeram em manter um bom controle, não só da glicemia, como também da pressão arterial, dos lipídeos, dentre outros.”

Mas o presidente da SBEM concorda que ainda há muito que melhorar e que é necessário uma ação conjunta com o governo.
“De fato, precisamos melhorar e muito a disponibilização de informações sobre o diabetes. Estamos em constante contato com o nosso Departamento de Diabetes para campanhas de esclarecimento. Já tivemos, inclusive, em reunião com o Ministério da Saúde para o desenvolvimento de projetos nesse sentido.”