Cristiana quer se corresponder com outras mães que tenham filhos diabéticos


Eu, Cristiana, tenho 31 anos e sou mãe de Gabriela que tem 3 anos e recentemente recebemos o diagnóstico da doença.

Em nove de janeiro de 2008, Gabriela foi internada no hospital infantil São Camilo, em BH, onde ficou por cinco dias no CTI e recebeu alta (do hospital) após sete dias de internação, saindo do hospital com o diagnostico de diabetes tipo 1.

Como mãe senti que o meu mundo estava se acabando, um enorme vazio e medo tomaram conta de mim, pensei que não iria dar conta de cuidar da minha filha. Ver minha pequena depende de uma medicação, sendo furada sucessivamente por agulhas várias vezes ao dia e tendo que lidar com uma alimentação rígida e controlada e ainda ter que explicar para uma criança de 3 anos o por quê que de repente tudo isso. Aconteceu assim…. Foi e ainda esta sendo muito difícil!

Foi uma mudança radical em nosso lar, em nossa família e desde então estamos tentando lidar com a doença e fazer com que a Gabriela leve uma vida o mais normal dentro do possível. O que mais nos entristece é que após sete meses que convivemos com o diabetes ainda não conseguimos um controle sobre ele. As glicemias da Gabriela ainda oscilam muito, temos muitas dúvidas quanto aos alimentos, aos médicos e tipos de insulinas, e os medos persistem.

Bom gostaria muitos de trocar experiências com outras mães que vivenciam os mesmos problemas que os meus e até mesmo aquelas que já passaram por eles e possam me ajudar de alguma forma. Esse é um apelo de uma mãe que pede ajuda e vive a diabetes como se fosse uma diabética.

Obrigada pelo espaço!

***

Minha resposta:

Cristiana,
 
Muito obrigada pelo seu depoimento. Posso ajudar, destacando no blog esta história. Se vc quiser deixar um email que eu possa divulgar. Existem outras pessoas nessa situação que devem querer compartilhar e dividir essa experiência. 

Sugiro o site da ADJ – Associação Nacional de Diabetes Juvenil – www.adj.org.br. Lá eles tem apoio psicológico, apoio nutricional, informações importantes, atividades para  crianças, adolescentes e jovens.

 
Abraço,
Luciana.

46 ideias sobre “Cristiana quer se corresponder com outras mães que tenham filhos diabéticos

  1. Telma Cavalcante

    Ola para quem quer saber um pouquinho de minha historia….

    Tenho uma filha que tem dez anos de idade,ela tem diabetis tipo 1 desde os 3 anos e desde entao vivo a cada dia uma historia diferente.
    Venho de uma geraçao onde meus parentes nao possui a doença mas a maioria por parte de meu esposo.Mas Deus colocou uma coisa em mim que se chama coragem….amor eterno enquanto dure….
    Vivo momentos muito dolorosos pq.muitas vezes nao tenho condiçao de comprar todas as coisas que ela necessita mas vivemos de esperaça e prazer de viver os momentos juntas,muitas vezes fico triste por nao poder dar coisas que ela necessita pra comer adquadamente mas sempre dou a volta por cima e vivemos diferente de todas as pessoas que tem o diabetis e assim passa o dia, semana e mes e anose anos….

    Somos muito felizes……….

    Resposta
    1. maria josé paulo silva

      OI CRISTINA LI SUA HISTORIA SEI BEM O Q VC PASSOU E ESTA PASANDO POIS TENHO UM NETO DE 8ANOS DIA BETICO A 3ANOS,VEJO DE PERTO A LUTA E O SOFRIMENTO DA MINHA FILHA E SOFRO COM ELA,SE VC QUZER TROCAR EXPERIENCIA COM ELA ,ENTRA
      NA MINHA PAGINA NO FACE ,Q PONHO VC EM CONTATO COM ELA,MEU NOME E: MARIA JOSE PAULO SILVA CIDADE SÃO GONÇALO DO SAPUCAI MG UM ABRAÇO FIQ COM DEUS!

      Resposta
  2. Michelle

    Olá, Cristiana.
    Tenho um filho de 4 anos que também é diabético, descobri nos dias das mães do ano passado que ele era diabético.
    Na hora o meu mundo caiu, mas com o tempo entendi que aquele era o meu melhor presente dos dias das mães. Tinha ganho um presente maior que tudo… A vida do meu filho pela 2ª vez.
    Hoje ele está super bem, engordou 8 kilos dos 6 que tinha emagrecido em 2 semanas logo que descobri.
    Eu aprendi a lidar com as doses de insulina, as medições de glicose, e ele é muito esperto e conciente. Me ajuda muito a lidar com tudo isso. A Hemoglobina glicosilada dele está ótima.
    E assim vamos levando… Um dia depois do outro…
    Se quiser conversar um pouquinho, me escreva ficarei muito contente em ajuda- la…

    Abraços Michelle.

    Resposta
  3. Patricia

    Cristiana, Olá.
    Quero que saiba que compreendo sua dor pois,a menos de dois meses tivemos o diagnóstico de Diabetes do meu filho Jhosef que ficou internado dezeseis dias, ele tem seis anos, o meu mundo tambem desabou não sabia o que fazer, não queria aplicar a insulina eu não tinha condições psicologicas para isso eu não aceitava a doença pois pior que a dieta em si era o fato que meu filho sempre teve horror a injeções então eu me perguntava porque ele? A médica do hospital onde ele estava internado disse que ele prescisava de mim que a minha força, coragem e percistência seriam as dele tambem e que enquanto eu não aprendesse a cuidar do meu filho ele não teria alta, logo depois pedi a Deus que me ajudasse e senti uma força que eu nem sabia que existia, então decidi lutar por ele aprendi muitas coisas como medir a glicose, a dosagem certa da insulina,aplicar a insulina e a fazer as substituições alimentares,dia quatorze agora vai fazer um mes que estamos em casa e posso te dizer que graças a Deus o pior ja passou porque tive muito medo do que ele poderia comer na escola alé do lanche que eu mando para ele mas, ele esta bem conciente com relação a doença e esta colaborando bem e a glicose dele esta ótima. Ainda não levei ele a festinhas pois não acho que ele seteja preparado mas tambem não quero pensar nisso agora, vamos viver um dia de cada vez estou muito feliz em saber que meu filho poderia ter morrido mas, que em vez disso esta vivo e muito bem.

    Resposta
  4. Nelson N.

    Olá Cristiana.
    Espero que esteja tudo bem com vc e sua filha… Também sou de BH no final de julho tivemos o diagnóstico de DM1 para meu filho, Nelsinho, de 7 anos. Para mim, e principalmente minha esposa, foi como perder o chão… como se, de repente, o mundo ficasse pequeno para tanta angústia! Mas Deus é Pai.
    Providenciamos imediatamente todo o suporte que estava em nosso alcance e depositamos nossa fé em que tudo daria certo. Hoje, quase dois meses após, ele se encontra no que se diz “lua-de-mel”.
    As glicemias estão controladas, com uma pequena tendência a hipos (embora não tenha ocorrido, graças a Deus!). Cada dia é uma luta. E cada dia é uma vitória.
    Ele á super consciente, e aderiu bem ao tratamento. Estamos providenciando, e sugiro que vc também o faça, um tratamento psicológico para ele, uma vez que criança é uma caixinha de surpresas. Às vezes, para nos agradar, se deixam transparecer uma calma que, na verdade, pode não ser o que está por dentro delas. Dúvidas, medos e mesmo a consciência de que algo errado, sem saber o quê.
    Espero que vc tenha sabedoria e calma para continuar sua vida. Todos sabemos que somos os “heróis/heroinas” de nossos filhos. Então o sejamos!!! Por eles e prá eles!!!
    Fique à vontadade para contactar pelo email (nelsonunes@hotmail.com). Esse contato é também do MSN, porém quase nunca fico online… Se alguém quizer adicionar, favor mandar um email antes.
    E, no mais, volto a dizer: Tenhamos fé… A cura está próxima!!!

    Resposta
  5. Joana Rolim

    Olá, meu nome é Joana e eu sou estudante de Enfermagem. Também sou mãe, fiquei muito comovida com o depoimento de todas vocês.
    Estou realizando um trabalho na faculdade que visa o problema social que a diabete traz. Caso uma de vocês queira deixar um depoimento, ou relatar um fato que eu possa utilizar no meu trabalho, e que ajude a “acordar” a população sobre as necessidades das crianças diabéticas (como merenda escolar especial), ficarei grata.
    jejrdf@bol.com.br

    Resposta
  6. Carla Guedes Mendes

    Olá, meu nome é Carla, tenho um filho João Lucas que diasgnosticou diabetes tipo 1 em Fevereiro deste ano.
    Até hoje nao me conformei, porém vivo para ele, aprendi a fazer as coisas necessarias e vivo atrás de novidades, frequento tambem a ADJ que nos faz muito bem, mas acredito que como todos nos nos lamentomos muito por acontecer isso logo com quem mais amamos e tentamos proteger de tudo possivel e imaginario.
    Ele ficou 5 dias internado, foi até para UTI, mas graças a Deus descobrimos bem no começo, ele não chegou a entrar em acidose na urina, mas chegou a 680 de glicemia. Hoje encontramos dentro da normalidade, as vezes com hioerglicemia, as vezes com hipoglicemia mas estamos levando.
    Por favor entre em contato comigo para desabafarmos e ajudarmos, carlaguedesmendes@hotmail.com.br.
    Força e luta um dia chegará a cura para nossos anjos…

    Resposta
  7. Selma

    Oi Cristiana! Que pena que vc não deixou nenhum Email pra nos comunicarmos. Sou mãe de um diabético com 17 anos, ele é desde os 5 anos, toda mãe sente a mesma coisa que vc sente… dediquei a minha vida inteira a meus filhos com uma atenção especial ao diabético, já passei por várias situações, já chorei muito, mas também aprendi muito, a vida do diabético é imprevisível, quando achamos que tá tudo bem algo acontece, mas isso é na vida de todos, não é? Mas existe um Deus que é Misericordioso e renova minhas forças sempre, ele leva uma vida bem normal, nunca me deu trabalho, não gosta que as pessoas sintam pena dele. Consegui sua insulina pela justiça e busco todos so seus direitos! A vida dos nossos filhos depende da nossa estrutura familiar, física e espiritual! Lute e peça ao Senhor Jesus força e Sabedoria para cuidar da Gabriela, nunca se desespere é simples e normal, louve a Deus por ser apenas diabetes, foi Deus que te escolheu, ele sabe sua capacidade! Deus te abençõe!Somos irmãs em cristo e amigas pelo destino. Um grande abraço.É só questão de tempo…

    Resposta
    1. denise

      gostaria do Email de SELMA para correspondencia,tenho uma filha com diabete desde os 16 anos ela hoje tem 24.gostaria de me corresponder com maes que passam pelo mesmo problema que eu obrigado.

      Resposta
      1. keila

        Olá
        Também já passei por esta situação, e muito difícil mesmo descobrir que seu filho tem diabetes..Meu filho hoje tem 19 anlos, e se tornou diabético aos 12 anos, atualmente ele não está aceitando mais se cuidar, é uma luta diária com ele, mas tenho fé em DEUS, que nossos filhos e filhas ainda vão se curar desta doença, porque para DEUS nada é impossível.

  8. junia(belo horizonte)

    Ola Cristiana,imagino seu medo,mas queria te contar um pedacinho da historia de meu filho “Lucas”,que quando fez um aninho,recebeu um diagnostico de uma doença que eu nem sabia que existia,não é Diabetes,mas era algo que tambem precisava de um controle absoluto e rigoroso,inclusive alimentar.Chama-se doença celíaca,tb está no grupo de doenças auto imunes,e que se ele ingerir uma particula sequer de glutem,desencadeiam doenças gravissimas que poderiam leva-lo ate a morte,Pois bem,hj ele tem 7 anos é um menino lindo,saudavel,pratica esportes,[e o melhor aluno da classe,frequenta festinhas,dorme na casa de coleguihas,e faz sua dieta restrita normalmente.No inicio achei que seria impossivel,pois em tudo que se comercializa,todos os biscoitos,lanches,qq produto que passasse perto de padarias,shopings,supermercados,poderiam contamina-lo.O perigo estava na casa de todo mundo,queria prende-lo em casa para protege-lo.Ate que ouvi uma frase,que me fez caminhar”a restrição dele não é social,e sim alimentar”Resolvi não faze-lo vitima de sua historia e sim dono dela,Passei a não ter mais produtos industrializados prontos em casa e fui fazer com as coisas que ele podia comer,seus biscoitos e bolos e alimentos.Tenho outros tres filhos,nenhum com a doença,Passei a frequentar e levar comigo todos os parentes eamigos em reunioes da associação de celiacos e diabeticos,para que as pessoas se informassem sobre a doença,Fui ate sua escoliha e fiz varias reunioes com as professoras,cantineiras auxiliares,explicando sobre cuidados e doenças,colocando o Lucas em uma mesinha sutilmente separada dos coleguinhas,para que não trocassem merendas e nem tocassem nas coisas do Lucas,o simples toque de uma maozinha com farelinhos de biscoit,contaminariam o alimento do lucas,Ia contando para o Luquinhas como poderia apreciar seus lanches,como ele estava ficando forte com suas comidas,e ele ia se orgulhando a cada dia de seus alimentos,Mostrava a ele como a alimentação saudavel,organizada,na hora certs,do jeito certo, trazia beneficios a ele,Imagine vc que ele nunca chupou bala e que qdo tinha 4 anos em um natal,fomos ao shoping e Papai Noel encheu suas maos de balas,e ele respondeu:obrigada,mas não quero,tem glutem,e me fazem mal,alem de não serem saudaveis.Lucas frequenta todos os lugares,já cansamos de recusar lanchinhos nas pracinhas,que Lucas sempre frequentou,dizíamos com tranquilidade e firmeza que não podíamos aceitar,sempre tinhamos nossos lanchinhos especiais conosco,sempre leva consigo seus lanches de casa,com tudo qoe pode,e aprendeu a gostar e valorizar.Seus irmãos tambem seguem a dieta parcialmente,ou seja em casa todos comem o que Lucas come,ficamos todos mais saudaveis com a dieta equilibrada,mas se tem vontade comem livremente na rua.São extremamente amigos e solidarios uns com os outros,…Sabemos que virão outras fases,Lucas vai ser adolescente,mas temos certeza hj,que foi importantíssimo,lidarmos com seriedade e verdade sobre a doença,desde pequeno fazendo-o entender que não deveria e nem precisava ter pena de si mesmo,e que a grande diferença estava em não fazer-se de vítima.Mesmo com os exames de sangue regulares,as biopsias que são dolorosas,ensinamos Lucas a enfrentar com coragem,valorizando seus sentimentos,reconhecendo o quanto aqueles momentos de fato não são gostosos ,nem faceis,mas são necessarios e passageiros,e que se passassemos por aquela etapa,em seguida certamente vinha algo prazeroso e legal,assim vivemos estes anos.
    Desejo força,coragem,e que consiga junto com sua menininha superar as dificuldades e curtir os bons momentos que certamente acontcerão nas vidas de vcs!com carinho,um abraço

    Resposta
  9. Zilmar Maria

    Li todos os comentarios e me identifiquei com muitos deles.no dia 22/12/2008 minha filha de apenas 1ano e1 mes foi internadana UTI em estado gravissimo, 3 dias depois foi diagnosticado que ela tinha diabetes tipo 1 .No total foram 20 dias no hospital, hoje fazem 14 dias que estamos em casa , ainda estou com muito medo e sei que a caminhada nao sera facil mas sei que DEUS e maior e esta sempre do nosso lado.Minha se chama Maria Regina

    Resposta
  10. Karin

    Olá!
    Talvez a maioria das pessoas não saiba, mas o governo disponibiliza insulinas especiais (Lântus e Novorapid) e tiras para medição capilar e aparelho.´No meu caso, me consultei com uma endócrino da Unimed e ela, como é médica do SUS, me deu as guias para levar na Farmácia das Insulinas. Mas, normalmente, os passos são os seguintes: 1º é necessário se consultar no postinho e solicitar ao médico encaminhamento para endocrinologista (normalmente do HC) e este receitará as insulinas. É preciso ter um controle rigorozo da doença, pois senão o paciente pode perder os benefícios. A Hemoglobina deve sempre estar dentro dos parâmetros.
    O meu gasto mensal girava em torno de R$400,00, mas com os benefícios não gasto mais nada.
    Um abraço,
    Karin
    karinjantsch1@gmail.com

    Resposta
  11. Licia

    Gosto muito de ler depoimento de mães com filhos com Diabetes,pois penso q posso ajudar,de alguma forma,com as minhas vivências pessoais.Meu filho,ficou diabético aos 11 anos e hoje, aos 25 anos é um Médico,já em pós graduação,morando em outra cidade.Aprendeu a conviver com o Diabetes de forma muito tranquila,sem terrorismo,dando ao Diabetes,a devida importância,nem mais,nem menos,na medida certa…Conseguiu incorporar a sua rotina diária todos os ítens necessários para um bom controle glicêmico e leva a vida com muita leveza…Mostrando com isso q é muito possível viver de forma saudável e plena com Diabetes.É uma questão de escolha…

    Resposta
    1. Rosana

      Boa tarde amiga
      Descobri no dia 13.05.2011 que meu filho Caio de 13 anos tem DM1, já chorei muito, quando de repente veio agulhas, insulinas, medo, panico, … hoje estou mas fortaleçida, DEUS SABE O QUE FAZ, já entrei no site do ADJ, ANAD, tem muitas informações importantes.Todo dia aprendo uma coisa nova.
      Ele simplesmente amava CHOCOLATE…
      O que me marcou nesse dia quando soubemos, foi ele me entregar uma caixa de bombons que ainda estava guardado em seu quarto, que havia ganho na Páscoa.
      Peguei várias receitas deliciosas, comprei muitas guloseimas DIET, para ele não sentir triste, embora esteja dando somente quando eu sinto a vontade dele em comer um doce.Não sei ainda a frequencia que posso dar chocolate DIET, e outros doces.a glicemia ainda está super alta, pela manhã 220, a noite já chegou a 513.
      Estou com o pensamento sempre nele e em DEUS.
      Vamos torcer para a CURA DA DIABETE.

      Resposta
  12. Fernanda

    Oi, pessoal!
    Zilmar, você não deixou seu e-mail! Deixe-o aqui para podermos nos comunicar.
    Karin, essa dispensação de tipos de insulina depende do estado. No DF, por exemplo, há dispensação de Lantus e insulinas ultra-rápidas (Humalog ou Novo Rapid) e tiras. Acho que em São Paulo também, mas isso não acontece em todos os estados. No caso de estados que não dispensam esses insumos, entrar na justiça é a solução. Diretamente na defensoria pública do seu estado (é o jeito mais simples) e em poucos dias você já estará recebendo o que for necessário.
    Trabalho no Ministério da Saúde, qualquer infotmação que vocês necessitarem, por favor, estou à disposição.
    Bjos

    Resposta
    1. Isonete

      Fernanda,

      Tenho dois filhos diabéticos e estou muito interessada na bomba de insulina pra o mais velho 24 anos, pois até hoje é uma luta conseguir controlar a glicemia dele. Não sei se o mais novo 13 anos também teria direito, pode me judar? O que deve fazer e quais os documentos devo providenciar para levar na defensoria pública? Precisarei de um advogado para isso?
      Meu emal: isonetesouza@gmail.com

      Grata,

      Resposta
  13. Karin

    Oi Fernanda!
    Obrigada pelo esclarecimento! Não sabia que as insulinas especiais não eram privilégios de todos – que coisa?!
    Gostaria de um esclarecimento com respeito à Bomba de Insulina Medtronic, o que é necessário fazer para consegui-la pelo governo.
    Um abraço,
    Karin
    karinjantsch1@gmail.com

    Resposta
  14. MARGARETE

    Oi para todos É verdade não é em todo lugar que se disponibilizam medicamentos assim ,eu tive que entrar pela defensoria pública ,pois os medicamentos para diabetes são muito caros. Um abraço
    Oi Luciana e com você tá tudo bem ? Como está indo ? bjs

    Resposta
  15. carla finoti

    Olá pais e mães!!
    Sou Carla, e moro no RJ. Em 24 de julho de 2008, descobrimos que nosso filho, Daniel, com apenas dois anos estava diabético. Devido ao excesso de sede logo desconfiei, mas tinha medo que se confirmasse, mas criei coragem e pedi ao pediatra um exame de glicose. O resultado foi cruel, no mesmo dia o levamos ao pronto-socorro, e sua glicose estava em 709, onde devido a vários medicamentos e a má reação à insulina teve hipoglicemia, onde entrou em convulsão, foi desesperador. Ele foi transferido urgentemente para um hospital, onde permaneceu internado por 3 dias na UTI, num total de 11 dias. Após a internação, sua glicemia permaneceu normal por 4 meses, tive muita esperança de que ele pudesse ter ficado curado, mas no final de dezembro, a sua glicemia começou a ter variações não constantes. Fizemos exames que demonstrasse o nível de reserva de insulina e estava abaixo do normal. Os médicos disseram que ele estava na “fase de lua-de-mel”, que logo acabaria toda a sua reserva de insulina. Ficamos muito tristes, principalmente pelo fato de ter que sempre estar controlando a sua alimentação, ter que injetar doses constantes de insulina e presenciar seu sofrimento. Apesar disso, Daniel é uma benção, tudo o que quer comer, hoje ele pergunta se pode, se é zero ou diet, até bala ele já rejeitou sem que nós estivessemos observando. Estamos convivendo com isso, de uma forma difícil, mas sei que um dia com o passar do tempo iremos levar de forma natural tudo isso.

    Resposta
  16. Isonete

    Cristina, tenho 02 filhos diabéticos e um deles convive com a doença a 20 anos, sobrevivemos a cada dia e como diz a irmã Selma cada dia é uma vitória.
    Acredito na cura seja pelas mãos dos homens ou pela mão do Senhor Jesus e isso me fortalece a cada dia.
    Tenha fé, veja o exemplo de luta que a Junia, mãe do Lucas deu. Acho que a hitória dela diz tudé?
    Se quiser falar comigo fique a vontade meu email: isonetesouza@gmil.com
    Fé linda, Jesus é conosco.

    Resposta
  17. tininha

    ola tenho um filho de 6 anos que tenhe diabetes . tenhe 6 mese que eu descobri ainda não consegui controlar a diabetes dele . eu sofro muito por não coseguir . sinto uma dor muito grande no coração me sinto culpada me pergunto por que aconteceu isso comigo . acho que não vou aguenta . minha forças estão acabano preciso de ajuda , preciso de converça com mães que tenhe o mesmo problema meu . obrigada

    Resposta
    1. Daniella

      Cara Tininha

      Em primeiro lugar tenha calma, ninguém deu uma sentença de morte para o seu filho, ele apenas tem diabetes, tem muita coisa pior por aí. A minha filha tem diabetes, tem sete anos de idade e vive muito bem graças à Deus e união de nossa família. Hoje ter diabetes não significa morrer de diabetes, é uma doença pefeitamente controlável. Não fique se lamentando, levante a cabeça, vá em uma nutricionista, controle as glicemias de seu filho, faça a insulina se for preciso. Hoje existe a insulina em canetas que é praticamente indolor e o cardápio com base em contagem de carboidratos que dá uma maior liberdade na alimentação. Tenha fé na vida, no seu filho, ele não é um coitado, é só uma criança que tem um probleminha de saúde, como tantas outras tem e vai se sair muito bem, depende de você. Se a insulina fosse um comprimido, ninguém se apavorava, como é injetável, é um terror pra todo mundo. Gente, graças à Deus que ela existe, permite-nos controlar o diabetes dos nossos filhos. Ensinei a Luiza, minha filha, a encarar as coisas de uma forma normal, problemas todos temos, eles são apenas diferentes, tem que se cuidar, fazer atividade física, comer direito e claro, controlar as glicemias, tomar insulina. Ninguem deseja isso, ainda mais para um filho, mas se aconteceu, vamos procurar viver bem com isso, pior é transformar a vida da criança em um inferno de lamentos, aí não dá! Se vc agir de forma natural e mostrar pra ele que não é bicho de sete cabeças, ele vai enfrentar isso numa boa, acredite em mim! Tininha, vai ser feliz com o seu filho, não deixa isso tirar sua paz não, faça dessa experiência crescimento pra vc e pra ele. Se precisar, eu estou aqui.Se ele quiser, pode conversar com a Luiza pelo e-mail, que tal? Beijo grande.
      dany0317@yahoo.com.br

      Resposta
  18. nilmara melo amorim

    ola tenho 1 filha de 3 anos a 8 meses descobri q yem diabetes o mundo desabou sobre minha cabeça mais tenho muita fe em deus hoje esta controlada mais sei o quanto e dificil

    Resposta
  19. Fernanda

    Olá, pessoal,
    Desculpa por estar um pouco de fora.
    Respondendo as perguntas da Karin e da Isonete, sobre como conseguir a bomba pelo governo, dá pra entrar pela defensoria ou por advogado particular, o que vai depender da sua renda. A defensoria pede comprovação de renda e declaração do IR para te atender, portanto quem ganha bem pode não ser atendido. A defensoria também parece ser mais rápida.
    O primeiro passo para conseguir a bomba de insulina é procurar a defensoria pública do seu município ou estado. É necessário levar os documentos: identidade, CPF, certidão de nascimento, comprovante de renda, título de eleitor, comprovante de residência… Todos os seus documentos, original e cópia. Você vai precisar também de um relatório médico, falando que seu filho tem a indicação, porque não conseguiu um bom controle, que no caso dele a bomba é a melhor opção, etc. O relatório deve ser bem detalhado, falando inclusive sobre complicações que vocês venham a ter, hipoglicemias, internacões… Todo o seu histórico. TUDO!
    Além disso, precisa de uma prescrição médica, contendo tudo o que ele vai precisar, incluindo: a bomba (nome e descrição da marca), catéteres e reservatórios, que precisam ser trocados de 3 em 3 e de 7 em 7 dias, respectivamente, informando as quantidades por mês que ele vai precisar, além das fitas e insulinas, com o tipo definido. O ideal é que você consiga esse relatório e a prescrição (receita médica) com um médico do SUS, assim é mais fácil de eles aceitarem.
    Aconselho também entrar em contato com a empresa que fabrica a bomba e os insumos, a Medtronic (tel. 11 21829200). Você pode solicitar um teste e pode utilizar a bomba por até 2 meses gratuitamente. Isso é muito legal, eu fiz esse teste! Eles mandam um representante na sua casa, para explicar tudinho sobre o equipamento, e você terá uma pessoa na sua cidade para contatar caso haja qualquer problema.
    Assim é mais legal fazendo o teste primeiro, porque você terá acesso aos nomes corretos dos produtos e entrará nessa somente se o teste der certo! Na minha opinião é impossível não gostar, é muito melhor!
    A bomba mais atual é a Paradigma Real Time. Peça o teste nessa bomba. Ela já vem com um medidor de glicose junto, é o pâncreas artificial!
    Quando forem atendidas, ou pela defensoria ou pelo advogado digam que vocês querem entrar com um manddado de segurança. Assim é super rápido e em até 3 meses vocês já estão com a bomba nas suas mãos.
    Boa sorte pra vocês!

    Bjo

    Resposta
  20. paulo carvalho

    Olá,Cristina,sou de SP, minha filha de Botucatu, c/ 14 anos Há 04 com Diabetes I.Necessito de bomba de insulina, a mãe dela é endocrina, porem como somente agora minha filha aceitou/esperimentou de uma amiga a bomba resolvemos entrar c/ Ficarei muito grato!!!!Se possivel aguardo resposta via e-mail, ok?
    Abs, tenha um bom dia…

    Resposta
  21. Bárbara

    Oi, Fernanda, moro no DF e gostaria de saber como faço pra conseguir as insulinas Novo Rapid e Lantus pelo Governo.
    O que devo fazer? Obrigada!!!

    Resposta
  22. Bárbara

    Fernanda, muito obrigada pelas informações!!! Serão muito úteis, vou anotar o seu e-mail, qualquer coisa me correspondo com vc!!
    Mais uma vez obrigada pela ajuda!!
    Deus te abençoe beijos

    Resposta
  23. Aliene

    Olá, Fernanda
    Meu nome é Aliene tenho uma filha de 8 anos que descobrimos ser diabética em Dezembro de 2009, foi um choque para todos nós, uma coisa inaceitavél. Ainda estou meio perdida e confusa, espero aqui tirar algumas dúvidas com os pais que estão na mesma situação que eu.
    Gostei muito das suas postagens o que mais me interessou, foi a respeito da Bomba, pois eu já havia falado com o médico da minha filha e o mesmo me disse ser muito cara.
    moro no RJ e gostaria de saber se vou ter que fazer o mesmo processo da postagem acima.
    E como posso fazer para conseguir a insulina novorapid e levemir pelo governo, espero que possa me ajudar. Um abraço.
    Quero me corresponder com outras mães, meu email alienesantos2@yahoo.com.br

    Resposta
  24. JOÃO BATISTA LIMA

    ola pra todos. aqui estamos tentando nos acostumar a cuidar de uma idosa 70 anos que é minha sogra que uma execelente pessoa mas esta fora da casinha (caduca) kkkkkkkkk. e tem diabetes mas estamos nos acostumando eu ensinei minha esposa a aplicar insulina ja que no começo era eu quem aplicava um abraço.

    Resposta
  25. vanda santos

    tenho um filho de 11 anos que tem diabetes tipo 1 ,e muito sofrimento p mim as vezes ,pq ele chora quando quer comer doce e eu ñ deixo ,mas as vezes ele comee escondido passa mal ..agora mesmo tem uma sirurgia p fazer to muito preocupada mesmo estou passando ele no psicologo e tudo mas ta muito dificil p mim .. vou passar a saber se meu filho tem direito a receber algum tipo de beneficio ,pq eu posso trabalhar pq tenho que ficar o tempo todo com ele …

    Resposta
  26. bibiana

    ola Cristiana
    Sou medica endocrinologista, e percebendo esta necessidades das maes com crianças diabeticas trocarem experiencias, abri dentro da minha pagina do face book um grupo chamado “bate-papo daibetes” . Esta bem ativo .
    Se quiser participar, acesse minha pagina – bibiana colenci- e envie-me uma mensagem p adiciona-la na pagina . tudo de bom
    Bibiana

    Resposta
  27. Briza Mulatinho

    daniella,
    tenho lido tantas coisas que me deixam pra baixo aqui no site e uma mensagem como a sua nos dá, realmente, esperança e força. acho que é disso que todo mundo precisa. diabéticos ou não. obrigada!

    Resposta
  28. lourdes claudia

    oi !cristiana, meu sofrimento e constante tenho medo, nao durmo direito mais ,tudo fica muito triste cada vez que tenho que furar meu filho ,sei q ele corre riscos ,e que depende muito de mim. e o gabriel ele tem apenas 4 anos quando descobri ele tinha 3 ficamos internados por 15 dias no hospital odilon beres em bh dias terriveis ,internou com 600 de glicose meu Deus graças Deus nao entrou em coma acho que eu morreria ,tem dias que choro muito meu marido vive triste tambem ,so que temos mais 3 filhos e um que e so 1 ano de diferença do biel que nao tem diabetes ai fica mais dificil quero muito trocar experiencia com voce e o biel nao conhece ningum com o mesmo problema que ele abraço lourdes

    Resposta
  29. cintia

    Olá Cristiana! Sou mãe do Vinicius de 12 anos. Ele tem diabetes desde os 5 anos!! Sei bem o que voce está sentindo, mas tenha calma que tudo vai passar. Como várias mães já disseram, eu tambem ja chorei varias vezes, mas ja sorri muito mais!!! A força que essas crianças tem é impressionante!! Siga em frente, tudo vai dar certo e se Deus quiser, com as milhares de mães unidas em oração, a CURA vai chegar logo!!!
    Fica com Deus!

    Cintia.

    Resposta
  30. natalia daiane

    oi sou natalia daiane tenho 23 anos aos 14 anos descobrie que tinha diabetes tipo 1, no momento nao fikei assustada pois nao sabia do ke se tratava… mas com o tempo sofrie muito eu e minha familia pois eu nao conseguia colocar na minha cabeça que era diabetica queria comer tudo e ano aceitava akela injeçoes todos os dias … mas com o passar do tempo fui mim acustumando afinal e uma coisa que dependo!!! aos 17anos casei e logo logo engravidei fikei com muito muito medo mesmo de meu filho nascer diabetico afinal eu nao fazia a dieta serta de maneira nehuma .. dai meu filho nasceu muito saudavel agora ele tenhe 5 aninhos e tenho muito medo dele adquirir essa doença ….. muito medo mesmo!!!!!

    Resposta
    1. Luciana Oncken Autor do post

      Natália, não é tão frequente casos de diabetes tipo 1 em filhos de diabéticos tipo 1. As chances são praticamente as mesmas que da população em geral. Relaxe a aproveite a vida ao lado dele. Beijos.

      Resposta
  31. viviane

    minha filha tem diabetes tipo 1 a 4 anos hoje ela te 12 algo que notei nela e que quando ela fica chateada com algo tipo rejeição por outras pessoas infelismente tem tipo emocional em 1 semana ela seca fica pele e osso te há ver obrigada

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s